domingo, 20 de junho de 2010

terça-feira, 15 de junho de 2010

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O despertar da consciência

 

 

Toda a humanidade vive em um sono profundo.

“Todo ser humano pode chegar à experiência da realidade. Todo ser humano tem direito às grandes vivências do espírito, a conhecer os reinos e nações das regiões moleculares e eletrônicas.
Todo aspirante tem direito a estudar aos pés do Mestre, a entrar pelas portas esplêndidas dos Templos de Mistérios Maiores, a conversar com os brilhantes filhos da aurora do Maha-Manvantara da criação face a face.
Contudo, tem-se que começar por despertar a consciência.

É impossível estar despertos nos Mundos Superiores se aqui neste mundo celular, físico, material, o aspirante está dormido. Quem quiser despertar a consciência nos mundos internos, deve despertar aqui e agora, neste mundo denso.
Se o aspirante não despertou consciência aqui neste mundo físico, muito menos nos mundos superiores.
Quem desperta consciência aqui e agora, desperta em todas as partes. Quem desperta consciência aqui neste mundo físico, de fato e por direito próprio, fica desperto nos Mundos Superiores.

O primeiro que se necessita para despertar consciência é saber que se está dormido.
Isso de compreender que se está dormido é algo muito difícil, porque normalmente todas as gentes estão absolutamente convencidas de que estão despertas.
Quando um homem compreende que está dormido, inicia então o processo do auto-despertar.

Estamos dizendo algo que ninguém aceita. Se a qualquer homem intelectual se lhe dissesse que está dormido, podeis estar seguro de que poderia ofender-se.
As gentes estão plenamente convencidas de que estão despertas.
As gentes trabalham dormidas, sonhando... manejam carros dormidas, sonhando... casam-se dormidas, vivem dormidas, sonhando... e não obstante, estão totalmente convencidas de que estão despertas.

Quem quiser despertar consciência aqui e agora, deve começar por compreender os três fatores subconscientes chamados: identificação, fascinação e sonho.
Todo tipo de identificação produz fascinação e sonho.

Nós vamos andando por uma rua, de repente se encontra com as turbas que vão protestar por algo ante o palácio do senhor Presidente.
Se não está em estado de alerta (auto-observação) identifica-se com o desfile, mescla-se com as multidões, fascina-se e a seguir vem o sonho: grita, lança pedras, faz coisas que em outras circunstâncias não faria, nem por um milhão de dólares.

Olvidar-se de si mesmo é um erro de incalculáveis consequências. Identificar-se com algo é o cúmulo da estupidez porque o resultado vem a ser a fascinação e o sonho.
É impossível que alguém possa despertar consciência se se deixa fascinar, se cai no sonho."


Já vimos em lições anteriores que nossa constituição psicológica de um modo geral é:

  • 3% de Essência livre, porém adormecida.
  • 97% de Essência adormecida aprisionada nos defeitos psicológicos.
Isto significa que não temos absolutamente nada de consciência desperta, que vivemos adormecidos todo o tempo.
Mas podemos indagar:
Como posso estar adormecido se agora estou lendo este texto, se posso operar o computador, fazer os afazeres domésticos, etc?

Primeiramente precisamos entender as grandes diferenças entre consciência desperta e adormecida.
A primeira grande diferença é que uma pessoa desperta é autoconsciente, isto é, percebe todos seus processos internos. Isso significa que ela permanece em auto-observação continuamente, que não se identifica com as coisas e fatos externos.

Obs: “Identificar-se” no contexto do curso significa não estar em auto-observação. Quando uma pessoa não está em auto-observação necessariamente ela está identificada com algo, seja externo (objeto, fato, etc.) ou interno (pensamentos ou emoções).

Quando uma pessoa desperta consciência, ela desperta aqui no mundo físico e também nas outras dimensões da natureza, como por exemplo no mundo astral.
Por isso uma pessoa de consciência desperta não necessita praticar técnicas para se projetar em astral, ela naturalmente se projeta no momento que desejar, percebe como ocorre todo o processo do desdobramento astral e tem total controle sobre si mesma em qualquer dimensão que esteja.

Uma pessoa de consciência desperta consegue recordar sem esforço as suas existências anteriores, assim como conhecer também seu próprio destino, ter percepções e faculdades extraordinárias e ainda muito mais.

E uma pessoa de consciência adormecida, o que lhe ocorre?
Vamos fazer uma analogia em relação ao que vimos nos parágrafos acima.
Uma pessoa de consciência adormecida não é autoconsciente, isto significa que não consegue ou tem dificuldades em permanecer em auto-observação.
Uma pessoa que não despertou do sono da consciência está adormecida aqui e em todas as dimensões da natureza.
Temos o exemplo da projeção astral, que necessitamos utilizar certas técnicas para conseguirmos estar conscientes no mundo astral, onde na maior parte do tempo estamos adormecidos, simplesmente sonhando.
E se estamos adormecidos e sonhando no mundo astral é porque estamos adormecidos e sonhando aqui no mundo físico também, ou seja, não temos as percepções que uma pessoa desperta tem.

Por isso não é à toa que cometemos muitos erros, já que agimos, tomamos decisões, etc. com a consciência adormecida.
Quanto mais adormecida esteja a consciência, mais passíveis de cometer erros estamos.
Quanto mais adormecida esteja a humanidade em geral, mais veremos atos de violência, guerras, barbáries, etc.
Se os seres humanos tivessem pelo menos um pouco de consciência desperta as guerras seriam totalmente impossíveis.

Na verdade só a prática pode realmente nos mostrar e fazer entender essas diferenças.
Também é importante ter em conta que a natureza não dá saltos, e que o processo do despertar da consciência é lento e gradual como o crescer de uma árvore, e requer esforço contínuo para isso.

E como fazer para despertar a consciência?
Praticando o que aprendemos até agora, especialmente a auto-observação e a morte psicológica, e também o que iremos aprender na próxima lição: a meditação.

A morte psicológica e a meditação são os meios definitivos para o despertar da consciência.

domingo, 13 de junho de 2010

Significados do Amor - Chico Xavier

Significados do Amor

Vida – é o Amor existencial
Razão – é o Amor que pondera

  
Estudo – é o Amor que analisa


Ciência – é o Amor que investiga



Filosofia – é o Amor que pensa


Religião – é o Amor que busca Deus


Verdade – é o Amor que se eterniza



– é o Amor que se transcende


Esperança – é o Amor que sonha


Caridade – é o Amor que auxilia

  
Orgulho – é o Amor que enlouquece

 

Ódio, que julgam ser a antítese do Amor, não é senão o próprio Amor que adoeceu gravemente.”

 


ESCOLHAS



escolhas

são tudo escolhas!
somos as escolhas que fazemos sempre.
seguimos pela vida frente sempre pelas escolhas que decidimos fazer. estás agora onde estás pelas escolhas que fizestes! Já vistes que se, das escolhas que a vida te apresentou, todas elas, tivesses escolhido um outro caminho, agora, com certeza, não estarias onde estás, nem fazendo o que estás a fazer. a vida nos põe em frente, sempre, de várias escolhas, normalmente duas, e, de livre vontade, sem ninguém nos obrigar, escolhemos um caminho. e garanto-vos, "ninguém" te obriga a nenhuma escolha. podes dizer, " haa... se não fosse por ele, ela, por eles, por tal coisa, ou outra, não teria feito esta escolha, ou "fui" obrigada (o) a fazer esta escolha. não, isso não é possível!! de maneira nenhuma. estás onde estás porque assim escolhestes. por muito má que tenha sido a tua escolha, fostes só tu que a fizestes! e se não te agrada o resultado dela, podes, a qualquer momento, repito, a qualquer momento, fazer outra escolha. e não digas, haaa, se fizer acontece isto, ou aquilo, ou vou sofrer, ou vou fazer sofrer, ou... ou.... não, não é verdade. muitas das vezes não temos coragem de mudar de escolha apenas por comodismo, medo, de perder segurança, e continuamos na escolha errada por esses motivos, sem ousadia para mudar de escolha, e assim vivendo contráriamente com o que a nossa alma quer, de facto e deveras quer, que nos grita, e assim, ficamos, remoendo-nos por dentro, em diálogos internos de contradiçoes, dores, feridas, mal estar, mas sempre e sem coragem de tomar o tal passo que nos vai levar a fazer mais uma escolha, e levar-nos por outro caminho, mas quem sabe, o melhor caminho que seguistes até agora na tua vida ... basta escolher, e ter a ousadia de seguir em frente com a tua escolha. tu és mais importante no teu mundo, pensa, que a vida termina, para onde vais, ou não, nem sabes, e não vivestes da forma que querias, como querias, como te faria feliz.. só a ti! ousa... faz uma nova escolha se não gostas da que fizestes.... e vive sendo tu....só tu... vale a pena!!

por: Analuz

sábado, 12 de junho de 2010

Passos para usar o Ho’ oponopono



Do mesmo jeito que é muito efetivo é realmente simples de usar e de incorporar em nossa rotina diária. No momento que você nota dentro de si algo incômodo em relação a uma pessoa, lugar, acontecimento ou coisa, inicie o processo de limpeza, peça a Deus:  

“Divindade limpa em mim o que está contribuindo para este problema.”

Então use as frases desta seqüência: “sinto muito. Perdoe-me. Te amo. Obrigado”, várias vezes, você pode destacar só alguma delas que lhe chegue mais naquele momento e repeti-la. Deixe a sua intuição lhe guiar.

Quando você diz “sinto muito” você reconhece que algo (não importa saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior por isso lhe trouxe aquilo.

Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo a Deus que lhe perdoe, você está pedindo a Deus que lhe ajude a se perdoar.

“Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, lhe volta a unir ao Divino.

"Obrigado” é sua expressão de gratidão, sua fé em que tudo será resolvido para o bem maior de todos os envolvidos.

Antes de sair de casa, peça a Deus que: “Limpe o que há em você ou que possa ser a causa de algum conflito ou problema no caminho do trabalho”, (por exemplo).
Durante seu dia, ao sentir qualquer mal estar, ou sentimento ruim, que lhe traga alguma lembrança, ou não, una-se a esse sentimento “ruim” e peça a Deus que limpe as memórias que o estão gerando. Uma frase muito útil é pensada assim: 

“Amo as minhas memórias! Estou agradecido pela oportunidade de libertá-las a você e a mim!”. Siga com as frases (ou frase) pelo tempo que queira. A mudança é notável.

Em situações difíceis, onde você pode se sentir desamparado (ou desamparada), quando suas emoções estão em desequilíbrio e os pensamentos fluem desordenadamente gerando mais aflição, faça a oração de Morrnah, contribuída por Sergio Vargas. Oração que abrange a tudo e todos, em um verdadeiro bálsamo espiritual:
“Divino Criador, pai, mãe, filho todos em um… Se eu, minha família, meus parentes e antepassados ofenderam, a tua família, parentes e antepassados em pensamentos, palavras, feitos e ações desde o início de nossa criação até o presente, nós pedimos teu perdão… Deixa que isto se limpe, purifique, libere, corta todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas e transmuta estas energias indesejáveis em pura luz… E assim seja feito”.

Esta técnica de cura é realmente efetiva e o mais importante e maravilhoso é que não só ajuda a nós, mas também a todos os que nos rodeiam e que fazem parte de nosso mundo fazendo-o melhor.


Tradução – www.suamente.com.br – Aprenda mais sobre sua mente!


Fonte: http://dentrodemi.com/2008/04/10/pasos-para-usar-el-hooponopono/

Usando o Ho’oponopono




Há duas formas provadas de ho’oponopono aliviar você (ou a alguém mais) de qualquer coisa que você tenha. Lembra que o que você vê em outros esta também em ti, por isso a cura é uma auto-cura. Ninguém mais tem que fazer estes processos, mas sim você. O mundo inteiro esta literalmente em tuas mãos.

Primeiro, esta é a oração que Morrnah (a criadora deste processo) disse para ajudar a aliviar centenas e milhares de pessoas. É simples, mas poderoso:
“Divino criador, pai, mãe, filho em um…
Se eu, minha família, parentes e antepassados ofenderam você,
tua família, parentes, antepassados em pensamento, palavra, obra e ação desde
o princípio da criação até o presente, te pedimos perdão…
Deixa que isto limpe, purifique, libere, corte todas as lembranças negativas,
Bloqueios, energias e vibrações e transmute essas energias não desejadas em pura luz… esta feito…”

Segundo, a maneira em que o Dr. Hew Len cura é primeiro dizendo “Sinto Muito” e ”por favor, perdoa-me”. Você diz isso para reconhecer que algo – sem que você saiba que é- entrou em teu corpo/mente. Não tens idéia de como chegou ali, mas não precisa sabê-lo.
Se você tem sobrepeso, simplesmente você pega o programa que te esta fazendo assim. Ao dizer “Sinto Muito” você diz a Deus que você quer perdão dentro de ti por qualquer coisa que esteja trazendo o sobrepeso a ti. Você não pede a Deus que te perdoe, você pede a Deus que te ajude a se perdoar.
Depois você diz, “Te amo” e “Obrigado”.
O “Te amo” muda a energia que esta presa a fluir. Te reconecta com Deus. Como o estado Zero é de puro amor, e têm zero limites, esta começando a obter esse estado ao expressar amor. Quando a essa frase lhe segue um “Obrigado” esta expressando gratidão. Mostra tua fé que o assunto vai ser resolvido da melhor maneira possível.
O que ocorre depois depende de Deus. Talvez você tenha inspiração para fazer ações de algum tipo. O que seja, faça-o. Se não esta segura da ação a seguir, usa o mesmo método de cura para remover tua confusão. Quando te esclarecer, saberá o que fazer.
Em resumo….

Te amo
Sinto Muito
Por favor me perdoe
Obrigado!
Sergio Lizarraga

Quem é o responsável?

Fonte: The Foundation of I, Inc. Freedom of the Cosmos
www.hooponopono.org
Traduzido por: Roberto Gasi

 

Ihaleakala Hew Len, Ph.D.


"
Problemas podem ser resolvidos sem perceber que o “inferno” existe! Perceber e apreciar isso é um alívio e uma alegria absolutos para mim.
Solucionar Problemas, parte do propósito da existência, é do que trata a Identidade Própria Ho’oponopono. Para solucionar problemas, duas questões devem ser respondidas:
Quem sou eu? Quem é o responsável?
Entender a natureza do Cosmos começa com o insight de Sócrates: “Conheça-te a ti mesmo”
21 de Janeiro de 2005
Quem é o responsável?
Muitas pessoas, incluindo aqueles da comunidade científica, estão de acordo como o mundo sendo uma entidade física. Pesquisas atuais no DNA para identificar as causas e curas para doenças cardíacas, câncer e diabetes são o principal exemplo disso.
A Lei da Causa e Efeito
Modelo Físico

Causa Efeito
Deficiência do DNA Doença do Coração
Deficiência do DNA Câncer
Deficiência do DNA Diabetes

Física Problemas Físicos
Física Problemas Ambientais
O intelecto, a Mente Consciente, acreditam que são solucionadores de problemas. Que controlam o que acontece e o que é experenciado.
No livro User Illusion: Reduzindo a Consciência de Tamanho, o jornalista da ciência Tor Norretranders pinta uma imagem diferente da Consciência. Ele cita estudos e pesquisas, particularmente do Professor Benjamin Libet, da Universidade da Califórnia, em São Francisco, que mostra que decisões são tomadas antes que a Consciência as faça. E que o intelecto não é sabedor disso, acreditando que ele decide.
Padrões
Do momento do meu nascimento
Ao instante da minha morte
Tem padrões que eu devo seguir
Assim como eu devo respirar cada respiração.
Como um rato num labirinto
O caminho diante de mim se estabelece
E o padrão nunca se altera
Até o rato morrer.
E o padrão ainda permanece
Na parede onde a escuridão caiu
E se ajusta como deveria
Porque na escuridão eu deveria ficar.
Como a cor da minha pele
Ou o dia em que eu cresci
Minha vida é feita de padrões
Que dificilmente podem ser controlados.
Paul Simon, Poeta

Norretranders também cita pesquisa que mostra que o Intelecto é consciente de somente 15 a 20 bits de informação por segundo, dos milhões de reações anunciadas.
Se não o Intelecto, Consciência, então, quem é o responsável?
08 de Fevereiro 2005

Recordações ditam quais as experiências da Mente Subconsciente.
A Mente Subconsciente experencia, de forma indireta, imitando, ecoando recordações. Comportam-se, experimentam, sentem, e decidem exatamente como as memórias ditam. A Mente Consciente também opera, sem anunciar, pelas recordações. Elas ditam que são as experiências, como mostram os estudos de pesquisa.
A Lei da Causa e do Efeito
Self Identity Ho’oponopono

Causa Efeito
Recordações dentro da Mente Subconsciente Físico – Doença do coração
Recordações dentro da Mente Subconsciente Físico – Câncer
Recordações dentro da Mente Subconsciente Físico – Diabetes
Recordações dentro da Mente Subconsciente Problemas Físicos – No Corpo
Recordações dentro da Mente Subconsciente Problemas Físicos – No Mundo

O corpo e o mundo residem na Mente Subconsciente como criações de recordações, raramente como Inspirações.
A Mente Subconsciente e a Mente Consciente, incluindo a Alma, não geram idéias próprias, pensamentos, sentimentos e ações. Como notado antes, elas experenciam forma indireta, através das recordações e Inspirações.
É essencial entender que a Alma não gera experiência para ela. Que ela experimenta o que a memória experimenta; sente o que a memória sente; comporta-se como a memória se comporta e decide como a memória decide. Ou, raramente, experencia, sente, se comporta e decide como a Inspiração experencia, sente, se comporto e decide!
É crucial na solução de problemas entender que o corpo e o mundo não são os problemas deles mesmos, mas os efeitos, as consequencias, as recordações da Mente Subconsciente. Quem é o responsável?

O Vazio é o fundamento da Identidade Própria, da Mente, do Cosmos. É o estado precursor da infusão de Inspirações da Inteligência Divina para o interior da Mente Subconsciente.
Tudo que os cientistas sabem é que o Cosmos foi gerado do nada, e retornará para o nada, para o lugar de onde veio. O Universo começa e termina no zero.
Charles Seife, ZERO: The Biography of a Dangerous Idea
Recordações desordenam o Vazio da Identidade Própria, impedindo a Manifestação das Inspirações... Para remediar essa desordem, para restabelecer a Identidade Própria, as memórias precisam ser transformadas no Vazio através da transmutação da Divina Inteligência.

“LIMPE, apague, apague e encontre seu próprio Shangri-La. Onde? Dentro de vocês mesmos.”
Morrnah Nalamaku Simeona, Kahuna Lapa’au

Nem torre de pedra, nem paredes de metal batido, Nem o calabouço abafado, nem argolas fortes de ferro, Podem ser retidos da força do espírito.
William Shakespeare, Playwright
A Existência é um presente da Inteligência Divina. E o presente é concedido para o único propósito do restabelecimento da Identidade Própria através da solução de problemas.
Identidade Própria Ho’oponopono
É uma versão atualizada do antigo processo de arrependimento, perdão e transmutação Havaiano de solução de problemas.

Não julgues, e não serás julgado. Não condenes, e não serás condenado. Perdoe e serás perdoado.
Jesus as reported in Luke 6
Ho’oponopono envolve a participação completa de cada um dos quatro membros da Identidade Própria: Inteligência Divina, Mente Super Consciente, Mente Consciente e Mente Subconsciente, trabalhando juntas como uma unidade. Cada membro tem função e partes únicas na solução dos problemas das memórias repetitivas na Mente Subconsciente.
A Mente Super Consciente é livre de memórias, não é afetada pelas recordações da Mente Subconsciente É sempre una com a Inteligência Divina. De qualquer forma, a Inteligência Divina se move assim como se move a Mente Super Consciente.
A Identidade Própria opera pela Inspiração e memória. Somente uma delas, memória ou Inspiração, podem ser comandados pela Mente Subconsciente, a qualquer momento.
A Alma da Identidade Própria serve somente um mestre a cada vez, usualmente a memória do espinho ao invés da Inspiração da Rosa.

Identidade Própria Identidade Própria
Estado de Inspiração Estado da Recordação

”Eu sou o próprio consumidor da minha infelicidade”
John Clare, Poet

O Vazio é o lugar comum, o equalizador de todas as Identidades Próprias, “animadas” e “inanimadas”. É a fundação eterna e indestrutível de todo Cosmos, observado e não observado.
Uma casa dividida com ela mesma não pode se sustentar.
Abraham Lincoln, Presidente dos Estados Unidos.
A Mente Consciente pode iniciar o processo Ho`oponopono para liberar as memórias ou pode engajá-las com responsabilidade e pensamento.

Diagram 4 Self Identity Ho’oponopono
(Resolvendo o Problema)
Arrependimento & Perdão 
1. A Mente Consciente inicia o processo Ho’oponopono de solução de problemas, o pedido para a Inteligência Divina transforma memórias em vazio. Reconhece que o problema são recordações na Mente Subconsciente. E que elas são 100% responsáveis por isso. O pedido se move para baixo, da Mente Consciente para a Mente Subconsciente;
2. O fluxo desce da solicitação para dentro da Mente Subconsciente e gentilmente movimenta as memórias para transmutação. A solicitação, então, sobe para a Mente Super Consciente da Mente Subconsciente e,
3. A Mente Super Consciente examina a solicitação, fazendo as mudanças apropriadas. Porque ela sempre está em sintonia com a Inteligência Divina, ela tem a capacidade de examinar e fazer mudanças. A solicitação é, então, enviada para a Inteligência Divina, para análise final e consideração.
Diagram 5
Identidade Própria Ho’oponopono
(Resolvendo o Problema)
Transmutação pela Inteligência Divina 
4. Depois de analisar a solicitação enviada pela Mente Super Consciente, a Inteligência Divina envia energia transformada para a Mente Super Consciente;
5. A energia transformada flui da Mente Super Consciente para a Mente Consciente;
6. A energia transformada flui da Mente Consciente para a Mente Subconsciente. A energia transformada primeiro neutraliza as memórias designadas. A energia neutralizada é, então, liberada para armazenamento, deixando um vazio.

Pensamento e culpa são recordações.
A alma pode ser inspirada pela Inteligência Divina sem saber que o inferno está chegando. O único requisito para Inspiração, Criatividade Divina, é que a Identidade Própria seja ela mesma. Ser Identidade Própria requer incessante limpeza de memórias.
Memórias são companheiras constantes da Mente Subconsciente. Elas nunca deixam a Mente Subconsciente sair “de férias”. Elas nunca deixam a Mente Subconsciente se retirarem para dentro de si mesmas. Memórias nunca param de recordar, incessantemente!
Para acabar de uma vez por todas com as memórias, elas devem ser apagadas também de uma vez por todas.

Para Identidade Própria ser Identidade Própria, momento a momento, requer Ho'oponopono incessante. Como as memórias, incessante Ho'oponopono nunca pode sair de férias. Incessante Ho'oponopono nunca pode se aposentar. Incessante Ho'oponopono nunca pode dormir. Incessante Ho'oponopono nunca pode parar como...
O propósito de vida é ser Identidade Própria, como a Divindade criou a Identidade Própria, em sua semelhança exata, Vazio e Infinito.
Todas as experiências de vida são expressões de recordações e Inspirações. Depressão, pensamento, culpa, pobreza, ódio, ressentimento e aflição são "...frentes de lamentações", como Shakespeare notou em um dos Sonetos dele.
A Mente Consciente faz a escolha: pode iniciar uma incessante limpeza ou pode permitir problemas de recordações incessantemente.
Consciência trabalhando sozinha é ignorante do presente mais precioso da Divina Inteligência: Identidade Própria. Como tal, é ignorante do que é um problema. Esta ignorância resulta em solução de problema ineficaz. Pobre alma, é deixada continuamente, inútil sofrimento para toda sua existência. Como é triste.
A Mente Consciente precisa estar acordada para o presente da Identidade Própria, “…abundância além de toda compreensão.”
A Identidade Própria é indestrutível e eterna como é seu Criador, a Divina Inteligência. A conseqüência de ignorância é a falsa realidade da estúpida e cruel pobreza, doença, guerra e morte, geração após geração.
O físico é a expressão de memórias e Inspirações que acontecem na Alma da Identidade Própria. Mude o estado de Identidade Própria e o estado do mundo físico mudará.
Quem é o responsável...Inspiração ou recordações? A escolha está nas mãos da Mente Consciente.
Temos quatro (4) processos de solução de problemas Ho'oponopono de Identidade Própria e que podem ser aplicados para restabelecer a Identidade Própria através do esvaziamento das recordações dentro Mente Subconsciente:

1. "Eu te amo”. Quando sua Alma experenciar problemas de recordações, diga para elas mentalmente ou silenciosamente: "Eu te amo queridas memórias. Eu agradeço pela oportunidade de libertar tudo de você e de mim". "Eu te amo", pode ser repetido mentalmente novamente e novamente. Memórias nunca saem “de férias” ou se aposentam, a menos que você as aposente. "Eu te amo", pode ser usado até mesmo se você não estiver consciente dos problemas.
Por exemplo, pode ser aplicado antes de se ocupar de qualquer atividade como fazendo ou respondendo um telefonema ou antes de entrar em seu carro para ir a algum lugar.
2. “Obrigado”. Este processo pode ser usado com ou no lugar de “Eu te amo”. Como “Eu te amo”, ele pode ser repetido mentalmente, novamente e novamente.
sempre!
Eu peguei a idéia alguns meses atrás de um glossário dos "caracteres" essenciais em Identidade Própria Ho'oponopono. Você pode se familiarizar com cada um deles quando tiver tempo.
1. Identidade Própria: eu sou a Identidade Própria. Eu sou composto de quatro elementos: Divina Inteligência, Mente Super Consciente, Mente Consciente e Mente Subconsciente.Minha fundação, Vazio e Infinito, é uma réplica exata da Divina Inteligência.
2. Inteligência Divina: Eu sou a Divina Inteligência. Eu sou o Infinito. Eu crio Identidades Próprias e inspirações. Eu transmudo recordações para o vazio.
3. Mente Super Consciente: Eu sou a Mente Super Consciente. Eu vigio as Mentes Conscientes e Subconscientes. Eu reviso e faço mudanças apropriadas dentro das solicitações Ho'oponopono para a Divina Inteligência iniciada pela Mente Consciente.Eu não sou afetado por recordações dentro da Mente Subconsciente. Eu sou sempre um com o Divino Criador.
4. Mente Consciente: Eu sou a Mente Consciente. Eu tenho o presente de escolha. Eu posso permitir contínuas experiências de memórias ditando para a Mente Subconsciente e para mim ou eu posso iniciar a liberação delas através do contínuo Ho’oponopono. Eu posso pedir por direções para a Divina Inteligência.
5. Mente Subconsciente: Eu sou a Mente Subconsciente. Eu sou o depósito de todas as memórias acumuladas do inicio da criação. Eu sou o lugar onde as experiências são experenciadas como recordações ou como Inspirações. Eu sou o lugar onde o corpo e o mundo residem como recordações e Inspirações. Eu sou o lugar onde problemas vivem como memórias de reação.
6.Vazio: Eu sou o Vazio. Eu sou o fundamento da Identidade Própria e do Cosmos. Eu sou onde Inspirações saltam adiante da Divina Inteligência, o Infinito. Recordações dentro da Mente Subconsciente me deslocam, mas não me destroem, impedindo o influxo de Inspirações da Divina Inteligência...
7. Infinito: Eu sou o Infinito, Divina Inteligência. Inspirações fluem como rosas frágeis de mim para o Vazio da Identidade do Ego, facilmente deslocado pelos espinhos das memórias.
8. Inspiração: Eu sou a Inspiração. Eu sou uma criação do Infinito, da Divina Inteligência. Eu manifesto do Vazio para dentro da Mente Subconsciente. Eu sou experimentada como uma marca de novo evento.
9. Memória: Eu sou a memória. Eu sou um registro de experiências passadas dentro da Mente Subconsciente. Quando ativada, eu repito experiências passadas.
10. Problema: Eu sou problema. Eu sou uma recordação de experiências passadas que entra novamente na Mente Subconsciente.
11. Experiência: Eu sou experiência. Eu sou o efeito das recordações ou Inspirações dentro da Mente Subconsciente.
12. Sistema Operacional: Eu sou o Sistema Operacional. Eu funciono a Identidade Própria com o Vazio, Inspiração e Memória.
13. Ho’oponopono: Eu sou Ho’oponopono. Eu sou um antigo processo de solução de problemas Havaiano, atualizado para os dias de hoje por Morrnah Nalamaku Simeona, Kahuna Lapa’au, reconhecido como um tesouro vivo no Havaí em 1983. Eu sou composto de três elementos: arrependimento, perdão e transmutação. Eu sou uma solicitação iniciada pela Mente Consciente para a Divina Inteligência para esvaziar as memórias para restabelecer a Identidade Própria. Eu começo dentro da Mente Consciente.
14. Arrependimento: Eu sou o arrependimento. Eu sou o começo do processo Ho’oponopono iniciado pela Mente Consciente como uma solicitação para a Divina Inteligência para transmutar as memórias para o vazio. Comigo, a Mente Consciente reconhece a responsabilidade pelos problemas das recordações dentro da Mente Subconsciente, tendo criado, aceitado e acumulado elas.
15. Perdão: Eu sou o Perdão. Junto com o Arrependimento, eu sou uma solicitação da Mente Consciente para o Divino Criador, para transformar memórias dentro da Mente Subconsciente em vazio. A Mente Consciente não está somente triste, está também pedindo perdão para a Divina Inteligência.
16.Transmutação: Eu sou a Transmutação. A Divina Inteligência me usa para neutralizar e liberar memórias para o Vazio dentro da Mente Subconsciente. Eu estou disponível para uso somente pela Divina Inteligência.
17. Riqueza: Eu sou a Riqueza. Eu sou a Identidade Própria.
18. Pobreza: Eu sou a Pobreza. Eu sou recordações. Eu desloco a Identidade Própria, impedindo a infusão de Inspirações da Divina Inteligência para a Mente Subconsciente.

EU TE DESEJO PAZ ALÉM DE TODA A COMPREENSÃO.
Ihaleakala Hew Len, Ph.D.
Chairman Emeritus



quinta-feira, 10 de junho de 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010



MÉTODO DE CONDICIONAMENTO MENTAL PARA ALCANÇAR ÊXITO E PROSPERIDADE EM QUALQUER ASSUNTO

"Transformai-vos pela transformação da vossa mente"
Apóstolo São Paulo
  1. Você possui a infinita inteligência do seu SUBCONSCIENTE que não conhece obstáculos, nem dificuldades e nem adiamentos. Por isso TENHA FÉ. Não duvide nem um pouco do seu poder.
  2. O objetivo da "técnica do espelho" é gravar uma mensagem no subconsciente através da REPETIÇÃO desta mensagem muitas vezes diante de um espelho. Com isso, impressionamos o subconsciente (ou mente profunda) por meio da auto-sugestão. Qualquer sugestão, uma vez que atinja o subconsciente, provoca inevitáveis resultados. Mesmo as negativas; por isso rejeite todos os pensamentos negativos e qualquer dúvida a seu respeito.
  3. Obtenha a frase a ser mentalizada e fixe-a no seu espelho. Ela deve mencionar os fatos como já ocorridos: (eu sou; eu estou, etc). Leia-a com calma e sentimento todos os dias ao se deitar e pela manhã ao se levantar. Faça-o por uma semana e troque a frase.
  4. Tome cuidado para não negar durante o dia, o que afirmou perante o espelho. Se alguma dúvida lhe quiser subir ao espírito, repita silenciosamente a frase mentalizada e a dúvida some. Não se preocupe, por enquanto, em saber COMO funciona. O certo é que funciona mesmo.
  5. Durante a mentalização (à noite e de manhã), RELAXE e DESLIGUE-SE de qualquer ruído externo. Diga a si mesmo que está em paz, que você é imperturbável e fará sua mentalização em paz, calmamente. Leia pausadamente, com ATENÇÃO EXCLUDENTE, em voz baixa, olhando-se nos olhos sem franzir a testa.
  6. SABEDORIA, PODER, RIQUEZA e SAÚDE, estão dentro da mente de qualquer pessoa esperando apenas serem solicitadas. Pense somente em coisas boas: Saúde, beleza, perfeição, harmonia, paz, dinheiro, trabalho, AMOR, FÉ e ALEGRIA.
  7. Conseguimos impressionar o nosso subconsciente através da concentração num só pensamento por alguns segundos: a atenção excludente; isto é, excluindo-se todos os ruídos exteriores e qualquer distração.
  8. Outra maneira de operar a mentalização é através do uso de um rosário. Se você não possui um, tome um fio de barbante e dê-lhe vinte e um nós. À medida que repetir o texto escolhido, vá passando as contas do rosário ou os nós do fio. Faça-o serenamente.
  9. Sua riqueza (material e espiritual) está em sua própria mente. A riqueza é um ESTADO de consciência. O homem é o retrato de suas convicções: ELE É AQUILO QUE CRÊ. Rejeite qualquer pensamento derrotista, negativo, repetindo insistentemente as frases memorizadas. Os maus pensamentos não resistirão por muito tempo.
  10. SEU BARCO SE DIRIGIRÁ PARA ONDE SE DIRIGIR O SEU OLHAR...

segunda-feira, 7 de junho de 2010

A CABALA




Tudo na vida é o Verbo. Palavras e frases possuem poderes divinos, pois as letras que as compõem emanam diretamente de um alfabeto divino, usado pelo próprio Criador na hora de arquitetar as esferas que formam o mundo físico, mental e espiritual. A cabala é o conjunto de técnicas, teorias e práticas que permitem desvendar os aspectos mais interiores e místicos dessa língua divina, o ensinamento perene da Divina Origem.


- Alex Alprim -



Em todos os círculos esotéricos, a cabala é conhecida como o estudo das letras hebraicas que permite o contato direto e profundo com as verdades do nosso mundo e com Deus. O seu estudo é cercado de mistérios e, durante milênios, ficou restrito a um seleto grupo de homens extraordinários. Contudo, nos últimos tempos, popularizou-se e tomou-se uma das grandes ferramentas para o crescimento espiritual da humanidade.


Acredita-se que ela é transmitida de geração em geração por revelações, textos herméticos e pela importante tradição oral judaica, que variou ao longo dos séculos, indo desde a descrição mitológica da origem do universo às grandes especulações metafísicas e teológicas da natureza divina.


Em uma matéria inédita, a Sexto Sentido entrevista o Rabino Mishael Yehuda Halevi, da Sinagoga Elijah Kibbutz, que revela os aspectos mais controversos e místicos dessa antiga sabedoria.

ENTREVISTA AO RABINO
MISHAEL YEHUDA HALEVI



Por Alex Alprim, da Revista Sexto Sentido

Eu gostaria que o senhor nos explicasse de uma maneira simples - apesar do tema ser complexo - o que é a cabala?
Cabala é uma sabedoria universal. Ela não pertence única e exclusivamente ao povo judeu, mas é uma sabedoria que foi absorvida no decorrer dos milênios por todos os povos, e é encontrada na maioria dos povos do mundo. Basicamente, a cabala é uma ciência e uma sabedoria que visa produzir respostas para questões que, para a maioria das pessoas, não têm explicação.


E em que consistem essas respostas? Como elas surgem? Se elas existem em outros povos, como elas se relacionam? Existe alguma maneira de se buscar esse conhecimento de uma maneira palpável?
Sim. Por exemplo, temos os conhecimentos dos livros sagrados, da Torá, que são os cinco livros de Moisés, nos quais está escrito tudo que existe, existiu e vai existir. E só a cabala ou os cabalistas é que têm as ferramentas para retirar esse conhecimento de dentro de histórias metafóricas, que são códigos que J encerram essas verdades. Ela traz para fora as questões e as respostas codificadas nessas histórias.


Isso teria algo a ver com aquele livro Os Códigos da Bíblia?
Bem, Os Códigos da Bíblia é uma das partes da sabedoria. Na realidade, os judeus, os rabinos cabalistas, sabem da existência dos códigos há mais de 3.000 anos.


E quais são as ferramentas que existem para se estudar a cabala?
Para se estudar cabala é necessário ter o acompanhamento de um mestre cabalista. Com isso, você vai ter contato com a verdadeira cabala, e não com alguma vertente da cabala ou com alguém que estudou cabala e criou sua linha de entendimento. É necessário que se estude cabala com um judeu. Então, você vai ter acesso à pura sabedoria da cabala. Existem quatro ferramentas principais com as quais nós lidamos para retirar os conhecimentos dos livros sagrados, não só da Torá, mas de todo o chamado e conhecido como Antigo Testamento.


Essas ferramentas estão inseridas num acróstico que é traduzido aqui para "Paraíso Pomar", que seria a palavra Pardes, que é escrita com quatro letras: p, r, d, s; o "p" sendo de pechat, que é "entendimento literal"; o "r" de rhemes, que seria "metáforas e ilusões"; o derasch, que seria "pesquisas", que inclusive já gerou o conhecido Talmude; e o "s", que é de sod, e se refere à cabala, que é o nível espiritual, além das letras hebraicas que os textos contêm.


O senhor teve contato com pessoas que pertenceram a outras culturas e que também tinham esse tipo de conhecimento?
Na realidade, nós vemos que a cabala está presente em outros povos e culturas, como no budismo, por exemplo. Quando alguém produz uma nova revelação, essa energia sobe e permeia todo mundo. Então, os receptores que estão abertos se conectam com esses depósitos, trazendo esta sabedoria para baixo e criando uma nova consciência; mas tudo teve princípio na cabala, e ela começou onde? No Jardim do Éden, com Adão.


Ele recebeu o primeiro livro de cabala, chamado Livro de Raziel, entregue a ele por um anjo chamado Raziel. A cabala explica que esse livro era tão poderoso que apenas folheá-lo era o mesmo que brincar com um cabo de alta tensão. Assim, essa sabedoria vem sendo estudada por milênios.


Pessoas que entraram no seio do povo de Israel, aprenderam, estudaram com rabinos, levaram para seus povos e assim por diante, e isso foi crescendo até chegar ao ponto em que nós estamos hoje.


Existe uma crença ocidental de que as idéias de reencarnação estão muito ligadas às culturas do Oriente como Japão, índia e China, e de que a filosofia mística ocidental não se refere muito à idéia da reencarnação.


Existe a noção de reencarnação na cabala?
Existe, desde o princípio. Aliás, desde quando o homem foi retirado do Jardim do Éden, "a roda", como nós chamamos - ou girgul, em hebraico -, a palavra reencarnação existe. Por exemplo, no capítulo 2, verso 7 do Gênese, que conta a história da criação do homem, é dito que Deus soprou em suas narinas o fôlego de vida. Em hebraico, a palavra que está escrita é neichma rain, "espírito de vidas". A palavra "vida" não existe na língua hebraica, não tem singular. Sempre que a palavra hebraica "vida" aparece na Bíblia, em hebraico, ela está escrita no plural, "vidas".


O que acontece é que Adão trouxe a consciência do pecado, e todas as almas estavam nele. O que as pessoas não sabem é que o Adão do Jardim do Éden não era uma figura humana, mas uma figura espiritual, energia, e nele estavam todas as almas que povoariam o mundo. Então, quando Adão trouxe a consciência do pecado, o corpo dele foi fragmentado em milhares e milhares de centelhas, que descem ao mundo o tempo todo.


Existem várias vertentes do conhecimento. Nos primeiros milênios, aquelas grandes almas viviam mais tempo porque precisavam de mais tempo para evoluir espiritualmente. Quando eles começam a utilizar maio conhecimento da cabala acontece, por exemplo, o que é narrado na história da Torre de BabeI. Todo mundo pensa na existência física de uma torre, mas se você pesquisar e estudar, vai ver que existem poucas provas arqueológicas a respeito da existência de uma Torre de BabeI. A cabala explica que a torre, na verdade, não era física, mas apenas um código. No Gênese, é dito que só havia uma língua falada em todo o mundo naquela época, que era o hebraico. A palavra "hebraico" é escrita Ivritz, e significa "do outro lado". O que, na realidade, encerra essa história metafísica? É que estavam construindo um portal dimensional, a fim de que pudessem se locomover de um universo para outro, e se elevando espiritualmente. Assim, começaram a utilizar novos conhecimentos. Veio a questão do dilúvio, e a vida do homem foi diminuída em setenta anos para que se pudesse acelerar sua evolução espiritual.


Por viverem tanto, os erros acabavam se prolongando.


A questão da causa e efeito.


Então, ao contrário do que se imagina, a tendência a uma vida mais longa não necessariamente indica uma melhoria em nossa vida espiritual?
Não, porque, por exemplo, a sabedoria que existe hoje não é sequer metade da que existiu no tempo da Torre de BabeI. Há, nos dias atuais, uma grande sabedoria permeando o mundo, de forma que grandes cabalistas do povo de Israel produzem até grandes milagres através da sabedoria da cabala. A sabedoria da cabala está nas letras hebraicas dos livros.


Na realidade, as letras foram erradamente chamadas de "alfabeto hebraico". Não é bem isso. Aquelas letras são energias inteligentes, elas são a razão da criação do universo. Quando tudo foi formado, foi pela permutação dessas letras hebraicas. Por exemplo: as pessoas não sabem, mas com relação à história da abertura do mar - e, abrindo um parêntese aqui, na Bíblia não existe o Mar Vermelho - em hebraico está escrito Ayin Sof, que seria "O Mar do Infinito". Para abrir o mar, Moisés usou o que hoje nós chamamos de os "72 nomes divinos", que estão escritos no capitulo 14, versículos 19,20 e 21 do Gênese. Cada versículo, com 72 letras em hebraico. Quer dizer, acima do permitido pela estatística do acaso. Três versículos com 72 letras, o que significa que aÍguém colocou aquilo ali propositadamente. Os cabalistas decodificaram e retiraram os segredos. De fato, a visualização dessas letras produz grandes milagres e outras coisas.


Existem várias linhas de pensamento ocidentais, principalmente a partir dos séculos 18 e 19, que utilizam os conhecimentos da cabala para desenvolver sociedades iniciáticas, práticas de magia e práticas esotéricas. Durante muito tempo, a cabala esteve extremamente ligada à idéia do esoterismo mágico. Existem essas capacidades dentro da cabala? Isso faz parte do estudo ou, na verdade, é uma conseqüência do estudo?


Nós poderíamos dizer que isso é uma conseqüência do estudo, porque os cabalistas não se utilizam de práticas de "magia". Nós podemos produzir mudanças no mundo físico através do conhecimento da cabala e das letras, mas isso não é uma coisa que se vende como magia; até foram atribuídos poderes desse tipo a grandes rabinos do passado, cabalistas. Por exemplo, existe a história de Isaac Luria, que viveu no século 16. Dizem que, todas as sextas-feiras, o Ari, como era conhecido, subia as colinas para receber a noiva. Isso seria um código para o shabat sagrado do povo de Israel. Numa dessas vezes, ele disse a seus discípulos: "Vamos para Jerusalém". E eles responderam: "Rabi, Jerusalém está muito longe daqui, e já é quase pôr-do-sol. Nós não vamos conseguir chegar a tempo". Mas o rabi disse: "Nós vamos!" Eles começaram a cantar canções de cabala e, quando perceberam, já estavam em Jerusalém. E aí vai do entendimento de cada um, para procurar compreender o que aconteceu: se eles caminharam e chegaram a Jerusalém, ou se eles foram transportados milagrosamente. Porque a sabedoria da cabala produz mudanças no mundo físico. Todos os dias nós presenciamos isso.


Como está o trabalho dos cabalistas, hoje?
Existem poucas instituições no mundo que sejam realmente cabalistas. Hoje, estão voltando os livros sobre cabala e também muita coisa sobre a Torá. São níveis simples: é o começo da quebra da consciência robótica. Vamos usar um exemplo simples: Matrix (Nota: o rabino está fazendo uma referência ao filme The Matrix).


Quebrar a ilusão da matrix.
Isso. Por exemplo, a ciência explica que tudo que existe no universo é composto por formas esféricas: átomos, moléculas e assim por diante. Se tudo é composto por formas redondas, como explicar que tudo o que nós vemos é quadrado? Isso é uma ilusão produzida pelo mundo físico, que é uma ilusão, porque o verdadeiro mundo não é este aqui: isso aqui é uma ilusão.


Isso estabelece um paralelo com as idéias dos hindus a respeito do véu de Maya.
Sim! Então, nós temos de romper o véu para poder enxergar melhor as coisas. Por exemplo, esta parede é formada por letras. Que letras? As letras hebraicas que criaram todo o universo. Um cabalista que se elevou muito espiritualmente, quebra essa ilusão do chamado Satã. As pessoas -imaginam que o Satan é um ser com chifres e rabo, mas na realidade a palavra Satan é uma palavra código para "contra-inteligência", que seria uma programação inserida nesse DNA metafísico. Então, essa programação provoca a ilusão que as pessoas têm a respeito das coisas. A quebra dessa programação, que as pessoas têm por causa de Satan, faz com que nós comecemos a nos conectar com o verdadeiro mundo, o mundo de verdade. Além da matrix.


Essa idéia de Satã seria semelhante à que existe em algumas filosofias, do inimigo interior que seria um reflexo da pessoa?
Exatamente. Isso saiu da cabala.


O Satã é isso. Vamos citar aqui o exemplo de Jesus que, possivelmente, teria sido um cabalista. Teria estudado a cabala, e os milagres que ele produzia realmente estariam ligados à manipulação das letras em hebraico.


Existem várias citações em que Jesus é chamado de rabi.
Sim. Ele era um rabi, segundo consta na história. Nas passagens sobre a vida de Jesus, há muita cabala, como, por exemplo, quando ele foi levado ao deserto e tentado pelo diabo. As pessoas interpretam este fato literalmente, mas na realidade a palavra que aparece no original em hebraico é Satan, que seria "contra-inteligência", ou seja, os seus próprios inimigos; ele estava combatendo os seus inimigos interiores. E talvez o deserto seja o melhor lugar para isso, porque quanto maior a dificuldade, mais luz a ser revelada. Por exemplo, a lâmpada. Por que ela acende? É devido à resistência. Ela incandesce e acende. Assim como ocorre com a resistência, a dificuldade produz luz.


Como a matemática se conecta com a cabala?
Vou dar um exemplo. Quando nós falamos em reencarnação, podemos descobrir ou conhecer quais são as almas reencarnadas. Pegamos o nome, fazemos o estudo das letras daquele nome, fazemos cálculos gemátricos, que seriam cálculos numéricos - porque, para cada letra hebraica, existe um valor numérico - e encontramos uma razão que nos conecta com a revelação de quem seria essa alma.


Pode-se dizer, então, que toda a história humana se conecta através da cabala, em todos os seus grandes eventos e até mesmo nos pequenos eventos?
A cabala é a grande sabedoria universal. Está por trás de toda a razão do universo.


Qual é a coluna vertebral da cabala? Existe uma lei máxima na cabala?
Existe uma lei máxima, que é a lei da Torá, resumida num único verso: "Amarás ao próximo como a ti mesmo". Esta é a razão de todo cabalista. Ao contrário do que as pessoas pensam, este verso não é um verso cristão, mas se encontra no Levítico. "Amarás ao próximo como a ti mesmo resume toda a razão da cabala. Trabalhar em função do crescimento e da elevação espiritual do próximo.

domingo, 6 de junho de 2010

RECORDAÇÕES DE UM JURAMENTO




RECORDAÇÕES DE UM JURAMENTO


O texto abaixo é uma canalização!
Logo quando abri as portas não sabia onde estava e realmente não fazia a mínima idéia de como havia chegado àquele local. O sol era forte para os meus olhos! Aos poucos acostumei-me com aquela claridade toda e decidi colocar os pés naquilo que parecia ser um jardim composto de árvores (ou seria uma floresta?).
Assim que pisei na terra senti algo acontecer e ao me virar não haviam mais as portas. Eu estava só e num mundo imaginário. Seria sonho? Uma visão? Como sair dali?
De repente eu me vi correndo e sentia que era um índio e meus cabelos eram escorridos até quase os ombros, na testa havia uma tira de pano de cor vermelha, mas bem escuro era este vermelho. Não sabia como era possível isto, mas eu me via e sabia que era eu quem corria. Que loucura!
As árvores eram estranhas, pareciam ter um caule fino, eram longas, grandes, e quanto mais eu corria, mais parecia que eu me tornava como uma delas, me mimetizando nas suas cores, de repente era só rosto, ou só corpo, ou os pés, ou as mãos. Eu só sabia que eu corria e por mais que quisesse ver meu rosto, pouco me era possível ver, para ser sincero... Nada.
De repente já não corria, via umas estranhas formações semelhantes a cruzes. Uma delas chamou-me a atenção! Era eu pendurado numa delas, o mesmo índio, com a mesma tira de pano na testa, cabeça abaixada, rosto escondido pelos cabelos pendentes e os braços postos para trás. Eu não parecia preso na cruz, apenas parecia estar pendurado pelos braços. Eu fiquei rodando em torno de mim mesmo e de repente resolvi colocar meu corpo sobre meus ombros. Carreguei e de repente já não estava ali, estava diante de uma fogueira. O corpo que eu carregava agora se estendia deitado sobre o chão e eu preparava meu corpo com ervas. O fogo, as folhas, que segurava nas mãos, o aparecimento de outros seres ao redor da fogueira, como se fosse um conselho de curadores. Eu agitava minhas folhas sobre o corpo estendido. Mais uma vez eu estava me vendo e sabendo que aquele era eu, na verdade eu era, agora, o corpo estendido no chão, o feiticeiro e quem observava. Os outros seres permaneciam imóveis, mas pareciam gerar forças para aquela cerimônia e logo o feiticeiro sumiu. Ficou apenas o corpo estendido no chão, a fogueira era quase um facho de luz e acima parecia acontecer algo: luzes começavam a se formar a partir do céu. Deuses começavam a descer naquele local. Eles iam e vinham sem que se pudesse gravar quaisquer de suas formas. De uma hora para a outra eu sou novamente o homem estendido que agora está sentado com as pernas cruzadas. Seu rosto não me é visível. Ele está com a cabeça baixa. Algo acontece com ele, mas é interno.
De repente, uma figura alta, aparentemente feminina aparece. Ela vem vestida com uma roupa cheia de franjas nos braços. Ela dança uma dança frenética e rodopiante. Aquilo faz o meu corpo se arrepiar da cabeça aos pés. Ela dança como se dançasse dentro de meu corpo, dentro de cada parte do meu corpo. Em seguida ouço lobos uivando! Muitos! Sinto-os vindo em minha direção! Eles se jogam sobre meu corpo, me lambem, me acariciam com seus corpos, brigam entre si agarrados ao meu corpo, esfregam seus sexos em mim. Eles estão me curando tanto quanto a senhora rodopiante.
Tudo se esfumaça e já não há mais lobos. Meu corpo sente os respingos da chuva e ali, quieto e imóvel, eu sinto a chuva cair impiedosamente, vejo poças d’água formando-se e ouço o zunir dos ventos. Continuo imóvel e impassível. Lentamente ela passa e me vejo andando e correndo e muitas cenas se desenrolam céleres por minha mente. Vejo pessoas me abraçando, mulher, filhos, tendas, amigos, conselhos, danças do sol. Imaginação? Verdade? Não sei precisar, minha mente em nada se fixa.
Novo som de tempestade e agora estou dentro de uma caverna. Abrigado da chuva e aquecido por uma fogueira. Logo a chuva passa e já não estou dentro da caverna. Estou, quem sabe, em cima de uma montanha. O céu está estranho. Vozes ecoam pelos céus, não compreendo suas palavras. Mas sei o que são e neste instante eu percebo que estou diante de um fato marcante de minha vida: o dia em que eu jurei defender a Terra. Este dia aconteceu em alguma vida minha. Em alguma parte do planeta. Pode ser naquele local ou em outro. Mas aquela visão me fez recordar de meu juramento solene diante dos deuses e da Mãe Terra. Eu prometera defendê-la e ajudá-la! Eu precisava cumprir minha promessa!
Eu despertei!

Data da canalização: 01 de Janeiro de 2002

Viagem astral: O Elo entre o Físico e o Espiritual







Viagem astral: O Elo entre o Físico e o Espiritual
Mensagem de Geremyia canalizada por Ann Brewer
Um ser humano consiste em um corpo físico e quatro corpos sutis: o duplo etérico, emocional, mental e astral. Cada corpo sutil tem um papel específico para executar trazendo informação dos reinos não-físicos ao veículo físico. A responsabilidade de seu corpo astral é atravessar a lacuna entre as experiências que acontecem nos planos astrais e sua realidade física. Embora a maioria não tenha consciência de visitar outros planos astrais, você constantemente visita outros lugares a fim de incorporar ensinos etéricos à sua existência física. Alguns chamam isto de experiência fora-do-corpo (out-of-body experiences - OBE), outros chamam isto de viagem astral. Qualquer que seja a terminologia e se você tem ou não recordação consciente, todo ser humano sadio viaja durante o estado de sono para outros reinos.
Algumas pessoas podem estar frustradas porque pensam que não estão recebendo informação de seu espírito guia ou pensam que não sabem como contatar os seres não-físicos. Estas pessoas serão surpreendidas agradavelmente ao saber deste contato noturno! Alguma vez você despertou e tentou abrir seus olhos ou mover seus braços e pernas mas estava impossibilitado do movimento? Esta é uma situação na qual seu corpo físico despertou antes do retorno de seu corpo astral. Ou, então, alguma vez você teve sonhos onde você sobrevoava o quarto ou pairava em cima de seu corpo dormindo? Este é de fato seu corpo astral dando um alegre passeio antes de retornar ao seu campo físico. Existem sete planos astrais positivos e sete negativos associados com Terra.
Os planos astrais que você visita dependem principalmente do estágio de sua alma e seu progresso com seus ensinos espirituais. Por exemplo, as almas que existiram em sociedades "lightworker" da quinta dimensão como Plêiades ou Arcturus antes de reencarnarem na Terra podem visitar este plano astral, enquanto que almas "mais jovens" que se originaram no plano da Terra e não experimentaram outras dimensões, têm restrições para visitar alguns planos superiores.
Semelhante ao nosso sistema de educação, há uma tentativa para se agrupar essas almas como uma experiência para acelerar a aprendizagem. Aqueles que escolheram a energia escura, como a fonte de poder, podem visitar um dos planos astrais negativos desde que estes sejam os ensinos que lhes interessem. Porém, não existe uma regra definida, "trabalhadores da luz" não vão automaticamente para planos positivos enquanto os seres escuros não visitam necessariamente regiões negativas. Há muitas exceções. Se você teve alguma vez em uma vida passada uma relação íntima com um ser positivo em que foi apanhado em um plano astral negativo devido a algumas escolhas infelizes...você não está atento a sua relação passada em um nível consciente, mas sua alma retém na memória esta relação. Sua alma é atormentada pelo pensamento de um ser amado apanhado por seres escuros. Neste caso, seu astral viaja cada noite para o plano negativo para tentar salvar o ser amado.
Naturalmente, a viagem astral a um plano negativo não é defendida por que o faz vulnerável. Embora você possa levar proteção adequada quando visita o plano negativo, mesmo assim você pode não suportar. Mais ainda, você está batalhando com entidades negativas quando desce ao plano astral negativo, logicamente isto não é uma experiência agradável. Trabalhadores da luz que viajam para planos astrais negativos podem experimentar periodicamente pesadelos que estão tentando refletir suas experiência, ou eles poderiam despertar exaustos depois de dormir tranqüilamente uma noite inteira.
O corpo astral é a chave do seu crescimento espiritual devido a ponte que se constrói entre sua existência na Terra e seu trabalho no mundo não-físico. Freqüentemente, você avalia os outros por aspectos de sua existência diária e julga alguém por sua existência aparentemente inócua que parecem estar conduzindo. Porém, você não tem nenhum conceito do tipo de trabalho que eles estão fazendo no plano astral:
.  Você não tem nenhuma idéia do que a alma contrai, o que eles realmente fizeram em termos do suposto papel que realizam durante o corrente tempo de vida. 
.  Você não tem nenhuma visão de onde eles vieram, de que obstáculos eles criaram para melhorar seu propósito e aumentar sua experiência, ou onde eles vão. 
Entenda que todo o mundo está aprendendo no nível da alma, embora isto pareça não estar sendo integrado em sua existência terrestre. Julgar o progresso dos outros, não aceitar suas tentativas de evolução, só serve para criar blocos em sua própria evolução. Na transição deste plano ao término de sua vida física, você de fato extrai o seu corpo astral do seu corpo físico. Essencialmente, o corpo astral age como o vínculo conectando de vida para vida. Embora a maioria se refira a esta energia como a alma.
Entre reencarnações, você freqüenta uma escola astral em um dos sete planos positivos, revisa experiências passadas e aprende os ensinamentos de várias escolas de "mistério" e sociedades de alma. Aqueles que viveram experiências próximo-da-morte (near-death experiences - NDE) e se viram caminhando através da luz, de fato estavam movendo em seu corpo astral. Quando contudo determinam que não era hora para passar ao outro lado, eles dirigiram seu corpo astral de volta ao corpo físico. Desde que nós mantemos o nosso corpo astral depois de deixar o corpo (campo) físico, é até mesmo mais crítico curar algum dano que poderia residir neste corpo para manter completa sua capacidade enérgica. Alguns de vocês desenvolveram dano em seu corpo astral devido a vidas passadas que não sustentaram a integração de suas aprendizagens do espiritual para físico. Estes bloqueios impedem sua habilidade para transferir facilmente suas experiências noturnas em todos os seus dias de vida.
Se você sente separado da energia do Criador ou freqüentemente se sente frustrado ou bravo porque parece que você não pode aplicar sua perspectiva espiritual para sua existência diária, você pode ter algum dano espiritual e deve realizar exercícios de cura espiritual, como o que se segue:
.  Para curar o dano, deite (fique) em um banho ou flutue em uma piscina. Conscientemente extraia seu corpo astral de seu campo de energia e mergulhe mentalmente em uma suave luz azul. Quando você pode imaginar seu corpo astral incandescente com a luz azul, deixe-o flutuar na água com você até que sinta flutuante e saudável. Este é um exercício simples que lhe permite "reintegrar" a energia dos reinos espirituais mais altos ao seu corpo sutil, através da fusão dos seus campos vibracionais com os campos de vibração da água.

Tarot de OSHO clik

Se gosta de ERVAS e ESPECIARIAS CLIK

Se lhe interessa a NOVA ERA Clik

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O despertar da consciência

 

 

Toda a humanidade vive em um sono profundo.

“Todo ser humano pode chegar à experiência da realidade. Todo ser humano tem direito às grandes vivências do espírito, a conhecer os reinos e nações das regiões moleculares e eletrônicas.
Todo aspirante tem direito a estudar aos pés do Mestre, a entrar pelas portas esplêndidas dos Templos de Mistérios Maiores, a conversar com os brilhantes filhos da aurora do Maha-Manvantara da criação face a face.
Contudo, tem-se que começar por despertar a consciência.

É impossível estar despertos nos Mundos Superiores se aqui neste mundo celular, físico, material, o aspirante está dormido. Quem quiser despertar a consciência nos mundos internos, deve despertar aqui e agora, neste mundo denso.
Se o aspirante não despertou consciência aqui neste mundo físico, muito menos nos mundos superiores.
Quem desperta consciência aqui e agora, desperta em todas as partes. Quem desperta consciência aqui neste mundo físico, de fato e por direito próprio, fica desperto nos Mundos Superiores.

O primeiro que se necessita para despertar consciência é saber que se está dormido.
Isso de compreender que se está dormido é algo muito difícil, porque normalmente todas as gentes estão absolutamente convencidas de que estão despertas.
Quando um homem compreende que está dormido, inicia então o processo do auto-despertar.

Estamos dizendo algo que ninguém aceita. Se a qualquer homem intelectual se lhe dissesse que está dormido, podeis estar seguro de que poderia ofender-se.
As gentes estão plenamente convencidas de que estão despertas.
As gentes trabalham dormidas, sonhando... manejam carros dormidas, sonhando... casam-se dormidas, vivem dormidas, sonhando... e não obstante, estão totalmente convencidas de que estão despertas.

Quem quiser despertar consciência aqui e agora, deve começar por compreender os três fatores subconscientes chamados: identificação, fascinação e sonho.
Todo tipo de identificação produz fascinação e sonho.

Nós vamos andando por uma rua, de repente se encontra com as turbas que vão protestar por algo ante o palácio do senhor Presidente.
Se não está em estado de alerta (auto-observação) identifica-se com o desfile, mescla-se com as multidões, fascina-se e a seguir vem o sonho: grita, lança pedras, faz coisas que em outras circunstâncias não faria, nem por um milhão de dólares.

Olvidar-se de si mesmo é um erro de incalculáveis consequências. Identificar-se com algo é o cúmulo da estupidez porque o resultado vem a ser a fascinação e o sonho.
É impossível que alguém possa despertar consciência se se deixa fascinar, se cai no sonho."


Já vimos em lições anteriores que nossa constituição psicológica de um modo geral é:

  • 3% de Essência livre, porém adormecida.
  • 97% de Essência adormecida aprisionada nos defeitos psicológicos.
Isto significa que não temos absolutamente nada de consciência desperta, que vivemos adormecidos todo o tempo.
Mas podemos indagar:
Como posso estar adormecido se agora estou lendo este texto, se posso operar o computador, fazer os afazeres domésticos, etc?

Primeiramente precisamos entender as grandes diferenças entre consciência desperta e adormecida.
A primeira grande diferença é que uma pessoa desperta é autoconsciente, isto é, percebe todos seus processos internos. Isso significa que ela permanece em auto-observação continuamente, que não se identifica com as coisas e fatos externos.

Obs: “Identificar-se” no contexto do curso significa não estar em auto-observação. Quando uma pessoa não está em auto-observação necessariamente ela está identificada com algo, seja externo (objeto, fato, etc.) ou interno (pensamentos ou emoções).

Quando uma pessoa desperta consciência, ela desperta aqui no mundo físico e também nas outras dimensões da natureza, como por exemplo no mundo astral.
Por isso uma pessoa de consciência desperta não necessita praticar técnicas para se projetar em astral, ela naturalmente se projeta no momento que desejar, percebe como ocorre todo o processo do desdobramento astral e tem total controle sobre si mesma em qualquer dimensão que esteja.

Uma pessoa de consciência desperta consegue recordar sem esforço as suas existências anteriores, assim como conhecer também seu próprio destino, ter percepções e faculdades extraordinárias e ainda muito mais.

E uma pessoa de consciência adormecida, o que lhe ocorre?
Vamos fazer uma analogia em relação ao que vimos nos parágrafos acima.
Uma pessoa de consciência adormecida não é autoconsciente, isto significa que não consegue ou tem dificuldades em permanecer em auto-observação.
Uma pessoa que não despertou do sono da consciência está adormecida aqui e em todas as dimensões da natureza.
Temos o exemplo da projeção astral, que necessitamos utilizar certas técnicas para conseguirmos estar conscientes no mundo astral, onde na maior parte do tempo estamos adormecidos, simplesmente sonhando.
E se estamos adormecidos e sonhando no mundo astral é porque estamos adormecidos e sonhando aqui no mundo físico também, ou seja, não temos as percepções que uma pessoa desperta tem.

Por isso não é à toa que cometemos muitos erros, já que agimos, tomamos decisões, etc. com a consciência adormecida.
Quanto mais adormecida esteja a consciência, mais passíveis de cometer erros estamos.
Quanto mais adormecida esteja a humanidade em geral, mais veremos atos de violência, guerras, barbáries, etc.
Se os seres humanos tivessem pelo menos um pouco de consciência desperta as guerras seriam totalmente impossíveis.

Na verdade só a prática pode realmente nos mostrar e fazer entender essas diferenças.
Também é importante ter em conta que a natureza não dá saltos, e que o processo do despertar da consciência é lento e gradual como o crescer de uma árvore, e requer esforço contínuo para isso.

E como fazer para despertar a consciência?
Praticando o que aprendemos até agora, especialmente a auto-observação e a morte psicológica, e também o que iremos aprender na próxima lição: a meditação.

A morte psicológica e a meditação são os meios definitivos para o despertar da consciência.

domingo, 13 de junho de 2010

Significados do Amor - Chico Xavier

Significados do Amor

Vida – é o Amor existencial
Razão – é o Amor que pondera

  
Estudo – é o Amor que analisa


Ciência – é o Amor que investiga



Filosofia – é o Amor que pensa


Religião – é o Amor que busca Deus


Verdade – é o Amor que se eterniza



– é o Amor que se transcende


Esperança – é o Amor que sonha


Caridade – é o Amor que auxilia

  
Orgulho – é o Amor que enlouquece

 

Ódio, que julgam ser a antítese do Amor, não é senão o próprio Amor que adoeceu gravemente.”

 


ESCOLHAS



escolhas

são tudo escolhas!
somos as escolhas que fazemos sempre.
seguimos pela vida frente sempre pelas escolhas que decidimos fazer. estás agora onde estás pelas escolhas que fizestes! Já vistes que se, das escolhas que a vida te apresentou, todas elas, tivesses escolhido um outro caminho, agora, com certeza, não estarias onde estás, nem fazendo o que estás a fazer. a vida nos põe em frente, sempre, de várias escolhas, normalmente duas, e, de livre vontade, sem ninguém nos obrigar, escolhemos um caminho. e garanto-vos, "ninguém" te obriga a nenhuma escolha. podes dizer, " haa... se não fosse por ele, ela, por eles, por tal coisa, ou outra, não teria feito esta escolha, ou "fui" obrigada (o) a fazer esta escolha. não, isso não é possível!! de maneira nenhuma. estás onde estás porque assim escolhestes. por muito má que tenha sido a tua escolha, fostes só tu que a fizestes! e se não te agrada o resultado dela, podes, a qualquer momento, repito, a qualquer momento, fazer outra escolha. e não digas, haaa, se fizer acontece isto, ou aquilo, ou vou sofrer, ou vou fazer sofrer, ou... ou.... não, não é verdade. muitas das vezes não temos coragem de mudar de escolha apenas por comodismo, medo, de perder segurança, e continuamos na escolha errada por esses motivos, sem ousadia para mudar de escolha, e assim vivendo contráriamente com o que a nossa alma quer, de facto e deveras quer, que nos grita, e assim, ficamos, remoendo-nos por dentro, em diálogos internos de contradiçoes, dores, feridas, mal estar, mas sempre e sem coragem de tomar o tal passo que nos vai levar a fazer mais uma escolha, e levar-nos por outro caminho, mas quem sabe, o melhor caminho que seguistes até agora na tua vida ... basta escolher, e ter a ousadia de seguir em frente com a tua escolha. tu és mais importante no teu mundo, pensa, que a vida termina, para onde vais, ou não, nem sabes, e não vivestes da forma que querias, como querias, como te faria feliz.. só a ti! ousa... faz uma nova escolha se não gostas da que fizestes.... e vive sendo tu....só tu... vale a pena!!

por: Analuz

sábado, 12 de junho de 2010

Passos para usar o Ho’ oponopono



Do mesmo jeito que é muito efetivo é realmente simples de usar e de incorporar em nossa rotina diária. No momento que você nota dentro de si algo incômodo em relação a uma pessoa, lugar, acontecimento ou coisa, inicie o processo de limpeza, peça a Deus:  

“Divindade limpa em mim o que está contribuindo para este problema.”

Então use as frases desta seqüência: “sinto muito. Perdoe-me. Te amo. Obrigado”, várias vezes, você pode destacar só alguma delas que lhe chegue mais naquele momento e repeti-la. Deixe a sua intuição lhe guiar.

Quando você diz “sinto muito” você reconhece que algo (não importa saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior por isso lhe trouxe aquilo.

Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo a Deus que lhe perdoe, você está pedindo a Deus que lhe ajude a se perdoar.

“Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, lhe volta a unir ao Divino.

"Obrigado” é sua expressão de gratidão, sua fé em que tudo será resolvido para o bem maior de todos os envolvidos.

Antes de sair de casa, peça a Deus que: “Limpe o que há em você ou que possa ser a causa de algum conflito ou problema no caminho do trabalho”, (por exemplo).
Durante seu dia, ao sentir qualquer mal estar, ou sentimento ruim, que lhe traga alguma lembrança, ou não, una-se a esse sentimento “ruim” e peça a Deus que limpe as memórias que o estão gerando. Uma frase muito útil é pensada assim: 

“Amo as minhas memórias! Estou agradecido pela oportunidade de libertá-las a você e a mim!”. Siga com as frases (ou frase) pelo tempo que queira. A mudança é notável.

Em situações difíceis, onde você pode se sentir desamparado (ou desamparada), quando suas emoções estão em desequilíbrio e os pensamentos fluem desordenadamente gerando mais aflição, faça a oração de Morrnah, contribuída por Sergio Vargas. Oração que abrange a tudo e todos, em um verdadeiro bálsamo espiritual:
“Divino Criador, pai, mãe, filho todos em um… Se eu, minha família, meus parentes e antepassados ofenderam, a tua família, parentes e antepassados em pensamentos, palavras, feitos e ações desde o início de nossa criação até o presente, nós pedimos teu perdão… Deixa que isto se limpe, purifique, libere, corta todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas e transmuta estas energias indesejáveis em pura luz… E assim seja feito”.

Esta técnica de cura é realmente efetiva e o mais importante e maravilhoso é que não só ajuda a nós, mas também a todos os que nos rodeiam e que fazem parte de nosso mundo fazendo-o melhor.


Tradução – www.suamente.com.br – Aprenda mais sobre sua mente!


Fonte: http://dentrodemi.com/2008/04/10/pasos-para-usar-el-hooponopono/

Usando o Ho’oponopono




Há duas formas provadas de ho’oponopono aliviar você (ou a alguém mais) de qualquer coisa que você tenha. Lembra que o que você vê em outros esta também em ti, por isso a cura é uma auto-cura. Ninguém mais tem que fazer estes processos, mas sim você. O mundo inteiro esta literalmente em tuas mãos.

Primeiro, esta é a oração que Morrnah (a criadora deste processo) disse para ajudar a aliviar centenas e milhares de pessoas. É simples, mas poderoso:
“Divino criador, pai, mãe, filho em um…
Se eu, minha família, parentes e antepassados ofenderam você,
tua família, parentes, antepassados em pensamento, palavra, obra e ação desde
o princípio da criação até o presente, te pedimos perdão…
Deixa que isto limpe, purifique, libere, corte todas as lembranças negativas,
Bloqueios, energias e vibrações e transmute essas energias não desejadas em pura luz… esta feito…”

Segundo, a maneira em que o Dr. Hew Len cura é primeiro dizendo “Sinto Muito” e ”por favor, perdoa-me”. Você diz isso para reconhecer que algo – sem que você saiba que é- entrou em teu corpo/mente. Não tens idéia de como chegou ali, mas não precisa sabê-lo.
Se você tem sobrepeso, simplesmente você pega o programa que te esta fazendo assim. Ao dizer “Sinto Muito” você diz a Deus que você quer perdão dentro de ti por qualquer coisa que esteja trazendo o sobrepeso a ti. Você não pede a Deus que te perdoe, você pede a Deus que te ajude a se perdoar.
Depois você diz, “Te amo” e “Obrigado”.
O “Te amo” muda a energia que esta presa a fluir. Te reconecta com Deus. Como o estado Zero é de puro amor, e têm zero limites, esta começando a obter esse estado ao expressar amor. Quando a essa frase lhe segue um “Obrigado” esta expressando gratidão. Mostra tua fé que o assunto vai ser resolvido da melhor maneira possível.
O que ocorre depois depende de Deus. Talvez você tenha inspiração para fazer ações de algum tipo. O que seja, faça-o. Se não esta segura da ação a seguir, usa o mesmo método de cura para remover tua confusão. Quando te esclarecer, saberá o que fazer.
Em resumo….

Te amo
Sinto Muito
Por favor me perdoe
Obrigado!
Sergio Lizarraga

Quem é o responsável?

Fonte: The Foundation of I, Inc. Freedom of the Cosmos
www.hooponopono.org
Traduzido por: Roberto Gasi

 

Ihaleakala Hew Len, Ph.D.


"
Problemas podem ser resolvidos sem perceber que o “inferno” existe! Perceber e apreciar isso é um alívio e uma alegria absolutos para mim.
Solucionar Problemas, parte do propósito da existência, é do que trata a Identidade Própria Ho’oponopono. Para solucionar problemas, duas questões devem ser respondidas:
Quem sou eu? Quem é o responsável?
Entender a natureza do Cosmos começa com o insight de Sócrates: “Conheça-te a ti mesmo”
21 de Janeiro de 2005
Quem é o responsável?
Muitas pessoas, incluindo aqueles da comunidade científica, estão de acordo como o mundo sendo uma entidade física. Pesquisas atuais no DNA para identificar as causas e curas para doenças cardíacas, câncer e diabetes são o principal exemplo disso.
A Lei da Causa e Efeito
Modelo Físico

Causa Efeito
Deficiência do DNA Doença do Coração
Deficiência do DNA Câncer
Deficiência do DNA Diabetes

Física Problemas Físicos
Física Problemas Ambientais
O intelecto, a Mente Consciente, acreditam que são solucionadores de problemas. Que controlam o que acontece e o que é experenciado.
No livro User Illusion: Reduzindo a Consciência de Tamanho, o jornalista da ciência Tor Norretranders pinta uma imagem diferente da Consciência. Ele cita estudos e pesquisas, particularmente do Professor Benjamin Libet, da Universidade da Califórnia, em São Francisco, que mostra que decisões são tomadas antes que a Consciência as faça. E que o intelecto não é sabedor disso, acreditando que ele decide.
Padrões
Do momento do meu nascimento
Ao instante da minha morte
Tem padrões que eu devo seguir
Assim como eu devo respirar cada respiração.
Como um rato num labirinto
O caminho diante de mim se estabelece
E o padrão nunca se altera
Até o rato morrer.
E o padrão ainda permanece
Na parede onde a escuridão caiu
E se ajusta como deveria
Porque na escuridão eu deveria ficar.
Como a cor da minha pele
Ou o dia em que eu cresci
Minha vida é feita de padrões
Que dificilmente podem ser controlados.
Paul Simon, Poeta

Norretranders também cita pesquisa que mostra que o Intelecto é consciente de somente 15 a 20 bits de informação por segundo, dos milhões de reações anunciadas.
Se não o Intelecto, Consciência, então, quem é o responsável?
08 de Fevereiro 2005

Recordações ditam quais as experiências da Mente Subconsciente.
A Mente Subconsciente experencia, de forma indireta, imitando, ecoando recordações. Comportam-se, experimentam, sentem, e decidem exatamente como as memórias ditam. A Mente Consciente também opera, sem anunciar, pelas recordações. Elas ditam que são as experiências, como mostram os estudos de pesquisa.
A Lei da Causa e do Efeito
Self Identity Ho’oponopono

Causa Efeito
Recordações dentro da Mente Subconsciente Físico – Doença do coração
Recordações dentro da Mente Subconsciente Físico – Câncer
Recordações dentro da Mente Subconsciente Físico – Diabetes
Recordações dentro da Mente Subconsciente Problemas Físicos – No Corpo
Recordações dentro da Mente Subconsciente Problemas Físicos – No Mundo

O corpo e o mundo residem na Mente Subconsciente como criações de recordações, raramente como Inspirações.
A Mente Subconsciente e a Mente Consciente, incluindo a Alma, não geram idéias próprias, pensamentos, sentimentos e ações. Como notado antes, elas experenciam forma indireta, através das recordações e Inspirações.
É essencial entender que a Alma não gera experiência para ela. Que ela experimenta o que a memória experimenta; sente o que a memória sente; comporta-se como a memória se comporta e decide como a memória decide. Ou, raramente, experencia, sente, se comporta e decide como a Inspiração experencia, sente, se comporto e decide!
É crucial na solução de problemas entender que o corpo e o mundo não são os problemas deles mesmos, mas os efeitos, as consequencias, as recordações da Mente Subconsciente. Quem é o responsável?

O Vazio é o fundamento da Identidade Própria, da Mente, do Cosmos. É o estado precursor da infusão de Inspirações da Inteligência Divina para o interior da Mente Subconsciente.
Tudo que os cientistas sabem é que o Cosmos foi gerado do nada, e retornará para o nada, para o lugar de onde veio. O Universo começa e termina no zero.
Charles Seife, ZERO: The Biography of a Dangerous Idea
Recordações desordenam o Vazio da Identidade Própria, impedindo a Manifestação das Inspirações... Para remediar essa desordem, para restabelecer a Identidade Própria, as memórias precisam ser transformadas no Vazio através da transmutação da Divina Inteligência.

“LIMPE, apague, apague e encontre seu próprio Shangri-La. Onde? Dentro de vocês mesmos.”
Morrnah Nalamaku Simeona, Kahuna Lapa’au

Nem torre de pedra, nem paredes de metal batido, Nem o calabouço abafado, nem argolas fortes de ferro, Podem ser retidos da força do espírito.
William Shakespeare, Playwright
A Existência é um presente da Inteligência Divina. E o presente é concedido para o único propósito do restabelecimento da Identidade Própria através da solução de problemas.
Identidade Própria Ho’oponopono
É uma versão atualizada do antigo processo de arrependimento, perdão e transmutação Havaiano de solução de problemas.

Não julgues, e não serás julgado. Não condenes, e não serás condenado. Perdoe e serás perdoado.
Jesus as reported in Luke 6
Ho’oponopono envolve a participação completa de cada um dos quatro membros da Identidade Própria: Inteligência Divina, Mente Super Consciente, Mente Consciente e Mente Subconsciente, trabalhando juntas como uma unidade. Cada membro tem função e partes únicas na solução dos problemas das memórias repetitivas na Mente Subconsciente.
A Mente Super Consciente é livre de memórias, não é afetada pelas recordações da Mente Subconsciente É sempre una com a Inteligência Divina. De qualquer forma, a Inteligência Divina se move assim como se move a Mente Super Consciente.
A Identidade Própria opera pela Inspiração e memória. Somente uma delas, memória ou Inspiração, podem ser comandados pela Mente Subconsciente, a qualquer momento.
A Alma da Identidade Própria serve somente um mestre a cada vez, usualmente a memória do espinho ao invés da Inspiração da Rosa.

Identidade Própria Identidade Própria
Estado de Inspiração Estado da Recordação

”Eu sou o próprio consumidor da minha infelicidade”
John Clare, Poet

O Vazio é o lugar comum, o equalizador de todas as Identidades Próprias, “animadas” e “inanimadas”. É a fundação eterna e indestrutível de todo Cosmos, observado e não observado.
Uma casa dividida com ela mesma não pode se sustentar.
Abraham Lincoln, Presidente dos Estados Unidos.
A Mente Consciente pode iniciar o processo Ho`oponopono para liberar as memórias ou pode engajá-las com responsabilidade e pensamento.

Diagram 4 Self Identity Ho’oponopono
(Resolvendo o Problema)
Arrependimento & Perdão 
1. A Mente Consciente inicia o processo Ho’oponopono de solução de problemas, o pedido para a Inteligência Divina transforma memórias em vazio. Reconhece que o problema são recordações na Mente Subconsciente. E que elas são 100% responsáveis por isso. O pedido se move para baixo, da Mente Consciente para a Mente Subconsciente;
2. O fluxo desce da solicitação para dentro da Mente Subconsciente e gentilmente movimenta as memórias para transmutação. A solicitação, então, sobe para a Mente Super Consciente da Mente Subconsciente e,
3. A Mente Super Consciente examina a solicitação, fazendo as mudanças apropriadas. Porque ela sempre está em sintonia com a Inteligência Divina, ela tem a capacidade de examinar e fazer mudanças. A solicitação é, então, enviada para a Inteligência Divina, para análise final e consideração.
Diagram 5
Identidade Própria Ho’oponopono
(Resolvendo o Problema)
Transmutação pela Inteligência Divina 
4. Depois de analisar a solicitação enviada pela Mente Super Consciente, a Inteligência Divina envia energia transformada para a Mente Super Consciente;
5. A energia transformada flui da Mente Super Consciente para a Mente Consciente;
6. A energia transformada flui da Mente Consciente para a Mente Subconsciente. A energia transformada primeiro neutraliza as memórias designadas. A energia neutralizada é, então, liberada para armazenamento, deixando um vazio.

Pensamento e culpa são recordações.
A alma pode ser inspirada pela Inteligência Divina sem saber que o inferno está chegando. O único requisito para Inspiração, Criatividade Divina, é que a Identidade Própria seja ela mesma. Ser Identidade Própria requer incessante limpeza de memórias.
Memórias são companheiras constantes da Mente Subconsciente. Elas nunca deixam a Mente Subconsciente sair “de férias”. Elas nunca deixam a Mente Subconsciente se retirarem para dentro de si mesmas. Memórias nunca param de recordar, incessantemente!
Para acabar de uma vez por todas com as memórias, elas devem ser apagadas também de uma vez por todas.

Para Identidade Própria ser Identidade Própria, momento a momento, requer Ho'oponopono incessante. Como as memórias, incessante Ho'oponopono nunca pode sair de férias. Incessante Ho'oponopono nunca pode se aposentar. Incessante Ho'oponopono nunca pode dormir. Incessante Ho'oponopono nunca pode parar como...
O propósito de vida é ser Identidade Própria, como a Divindade criou a Identidade Própria, em sua semelhança exata, Vazio e Infinito.
Todas as experiências de vida são expressões de recordações e Inspirações. Depressão, pensamento, culpa, pobreza, ódio, ressentimento e aflição são "...frentes de lamentações", como Shakespeare notou em um dos Sonetos dele.
A Mente Consciente faz a escolha: pode iniciar uma incessante limpeza ou pode permitir problemas de recordações incessantemente.
Consciência trabalhando sozinha é ignorante do presente mais precioso da Divina Inteligência: Identidade Própria. Como tal, é ignorante do que é um problema. Esta ignorância resulta em solução de problema ineficaz. Pobre alma, é deixada continuamente, inútil sofrimento para toda sua existência. Como é triste.
A Mente Consciente precisa estar acordada para o presente da Identidade Própria, “…abundância além de toda compreensão.”
A Identidade Própria é indestrutível e eterna como é seu Criador, a Divina Inteligência. A conseqüência de ignorância é a falsa realidade da estúpida e cruel pobreza, doença, guerra e morte, geração após geração.
O físico é a expressão de memórias e Inspirações que acontecem na Alma da Identidade Própria. Mude o estado de Identidade Própria e o estado do mundo físico mudará.
Quem é o responsável...Inspiração ou recordações? A escolha está nas mãos da Mente Consciente.
Temos quatro (4) processos de solução de problemas Ho'oponopono de Identidade Própria e que podem ser aplicados para restabelecer a Identidade Própria através do esvaziamento das recordações dentro Mente Subconsciente:

1. "Eu te amo”. Quando sua Alma experenciar problemas de recordações, diga para elas mentalmente ou silenciosamente: "Eu te amo queridas memórias. Eu agradeço pela oportunidade de libertar tudo de você e de mim". "Eu te amo", pode ser repetido mentalmente novamente e novamente. Memórias nunca saem “de férias” ou se aposentam, a menos que você as aposente. "Eu te amo", pode ser usado até mesmo se você não estiver consciente dos problemas.
Por exemplo, pode ser aplicado antes de se ocupar de qualquer atividade como fazendo ou respondendo um telefonema ou antes de entrar em seu carro para ir a algum lugar.
2. “Obrigado”. Este processo pode ser usado com ou no lugar de “Eu te amo”. Como “Eu te amo”, ele pode ser repetido mentalmente, novamente e novamente.
sempre!
Eu peguei a idéia alguns meses atrás de um glossário dos "caracteres" essenciais em Identidade Própria Ho'oponopono. Você pode se familiarizar com cada um deles quando tiver tempo.
1. Identidade Própria: eu sou a Identidade Própria. Eu sou composto de quatro elementos: Divina Inteligência, Mente Super Consciente, Mente Consciente e Mente Subconsciente.Minha fundação, Vazio e Infinito, é uma réplica exata da Divina Inteligência.
2. Inteligência Divina: Eu sou a Divina Inteligência. Eu sou o Infinito. Eu crio Identidades Próprias e inspirações. Eu transmudo recordações para o vazio.
3. Mente Super Consciente: Eu sou a Mente Super Consciente. Eu vigio as Mentes Conscientes e Subconscientes. Eu reviso e faço mudanças apropriadas dentro das solicitações Ho'oponopono para a Divina Inteligência iniciada pela Mente Consciente.Eu não sou afetado por recordações dentro da Mente Subconsciente. Eu sou sempre um com o Divino Criador.
4. Mente Consciente: Eu sou a Mente Consciente. Eu tenho o presente de escolha. Eu posso permitir contínuas experiências de memórias ditando para a Mente Subconsciente e para mim ou eu posso iniciar a liberação delas através do contínuo Ho’oponopono. Eu posso pedir por direções para a Divina Inteligência.
5. Mente Subconsciente: Eu sou a Mente Subconsciente. Eu sou o depósito de todas as memórias acumuladas do inicio da criação. Eu sou o lugar onde as experiências são experenciadas como recordações ou como Inspirações. Eu sou o lugar onde o corpo e o mundo residem como recordações e Inspirações. Eu sou o lugar onde problemas vivem como memórias de reação.
6.Vazio: Eu sou o Vazio. Eu sou o fundamento da Identidade Própria e do Cosmos. Eu sou onde Inspirações saltam adiante da Divina Inteligência, o Infinito. Recordações dentro da Mente Subconsciente me deslocam, mas não me destroem, impedindo o influxo de Inspirações da Divina Inteligência...
7. Infinito: Eu sou o Infinito, Divina Inteligência. Inspirações fluem como rosas frágeis de mim para o Vazio da Identidade do Ego, facilmente deslocado pelos espinhos das memórias.
8. Inspiração: Eu sou a Inspiração. Eu sou uma criação do Infinito, da Divina Inteligência. Eu manifesto do Vazio para dentro da Mente Subconsciente. Eu sou experimentada como uma marca de novo evento.
9. Memória: Eu sou a memória. Eu sou um registro de experiências passadas dentro da Mente Subconsciente. Quando ativada, eu repito experiências passadas.
10. Problema: Eu sou problema. Eu sou uma recordação de experiências passadas que entra novamente na Mente Subconsciente.
11. Experiência: Eu sou experiência. Eu sou o efeito das recordações ou Inspirações dentro da Mente Subconsciente.
12. Sistema Operacional: Eu sou o Sistema Operacional. Eu funciono a Identidade Própria com o Vazio, Inspiração e Memória.
13. Ho’oponopono: Eu sou Ho’oponopono. Eu sou um antigo processo de solução de problemas Havaiano, atualizado para os dias de hoje por Morrnah Nalamaku Simeona, Kahuna Lapa’au, reconhecido como um tesouro vivo no Havaí em 1983. Eu sou composto de três elementos: arrependimento, perdão e transmutação. Eu sou uma solicitação iniciada pela Mente Consciente para a Divina Inteligência para esvaziar as memórias para restabelecer a Identidade Própria. Eu começo dentro da Mente Consciente.
14. Arrependimento: Eu sou o arrependimento. Eu sou o começo do processo Ho’oponopono iniciado pela Mente Consciente como uma solicitação para a Divina Inteligência para transmutar as memórias para o vazio. Comigo, a Mente Consciente reconhece a responsabilidade pelos problemas das recordações dentro da Mente Subconsciente, tendo criado, aceitado e acumulado elas.
15. Perdão: Eu sou o Perdão. Junto com o Arrependimento, eu sou uma solicitação da Mente Consciente para o Divino Criador, para transformar memórias dentro da Mente Subconsciente em vazio. A Mente Consciente não está somente triste, está também pedindo perdão para a Divina Inteligência.
16.Transmutação: Eu sou a Transmutação. A Divina Inteligência me usa para neutralizar e liberar memórias para o Vazio dentro da Mente Subconsciente. Eu estou disponível para uso somente pela Divina Inteligência.
17. Riqueza: Eu sou a Riqueza. Eu sou a Identidade Própria.
18. Pobreza: Eu sou a Pobreza. Eu sou recordações. Eu desloco a Identidade Própria, impedindo a infusão de Inspirações da Divina Inteligência para a Mente Subconsciente.

EU TE DESEJO PAZ ALÉM DE TODA A COMPREENSÃO.
Ihaleakala Hew Len, Ph.D.
Chairman Emeritus



terça-feira, 8 de junho de 2010



MÉTODO DE CONDICIONAMENTO MENTAL PARA ALCANÇAR ÊXITO E PROSPERIDADE EM QUALQUER ASSUNTO

"Transformai-vos pela transformação da vossa mente"
Apóstolo São Paulo
  1. Você possui a infinita inteligência do seu SUBCONSCIENTE que não conhece obstáculos, nem dificuldades e nem adiamentos. Por isso TENHA FÉ. Não duvide nem um pouco do seu poder.
  2. O objetivo da "técnica do espelho" é gravar uma mensagem no subconsciente através da REPETIÇÃO desta mensagem muitas vezes diante de um espelho. Com isso, impressionamos o subconsciente (ou mente profunda) por meio da auto-sugestão. Qualquer sugestão, uma vez que atinja o subconsciente, provoca inevitáveis resultados. Mesmo as negativas; por isso rejeite todos os pensamentos negativos e qualquer dúvida a seu respeito.
  3. Obtenha a frase a ser mentalizada e fixe-a no seu espelho. Ela deve mencionar os fatos como já ocorridos: (eu sou; eu estou, etc). Leia-a com calma e sentimento todos os dias ao se deitar e pela manhã ao se levantar. Faça-o por uma semana e troque a frase.
  4. Tome cuidado para não negar durante o dia, o que afirmou perante o espelho. Se alguma dúvida lhe quiser subir ao espírito, repita silenciosamente a frase mentalizada e a dúvida some. Não se preocupe, por enquanto, em saber COMO funciona. O certo é que funciona mesmo.
  5. Durante a mentalização (à noite e de manhã), RELAXE e DESLIGUE-SE de qualquer ruído externo. Diga a si mesmo que está em paz, que você é imperturbável e fará sua mentalização em paz, calmamente. Leia pausadamente, com ATENÇÃO EXCLUDENTE, em voz baixa, olhando-se nos olhos sem franzir a testa.
  6. SABEDORIA, PODER, RIQUEZA e SAÚDE, estão dentro da mente de qualquer pessoa esperando apenas serem solicitadas. Pense somente em coisas boas: Saúde, beleza, perfeição, harmonia, paz, dinheiro, trabalho, AMOR, FÉ e ALEGRIA.
  7. Conseguimos impressionar o nosso subconsciente através da concentração num só pensamento por alguns segundos: a atenção excludente; isto é, excluindo-se todos os ruídos exteriores e qualquer distração.
  8. Outra maneira de operar a mentalização é através do uso de um rosário. Se você não possui um, tome um fio de barbante e dê-lhe vinte e um nós. À medida que repetir o texto escolhido, vá passando as contas do rosário ou os nós do fio. Faça-o serenamente.
  9. Sua riqueza (material e espiritual) está em sua própria mente. A riqueza é um ESTADO de consciência. O homem é o retrato de suas convicções: ELE É AQUILO QUE CRÊ. Rejeite qualquer pensamento derrotista, negativo, repetindo insistentemente as frases memorizadas. Os maus pensamentos não resistirão por muito tempo.
  10. SEU BARCO SE DIRIGIRÁ PARA ONDE SE DIRIGIR O SEU OLHAR...

segunda-feira, 7 de junho de 2010

A CABALA




Tudo na vida é o Verbo. Palavras e frases possuem poderes divinos, pois as letras que as compõem emanam diretamente de um alfabeto divino, usado pelo próprio Criador na hora de arquitetar as esferas que formam o mundo físico, mental e espiritual. A cabala é o conjunto de técnicas, teorias e práticas que permitem desvendar os aspectos mais interiores e místicos dessa língua divina, o ensinamento perene da Divina Origem.


- Alex Alprim -



Em todos os círculos esotéricos, a cabala é conhecida como o estudo das letras hebraicas que permite o contato direto e profundo com as verdades do nosso mundo e com Deus. O seu estudo é cercado de mistérios e, durante milênios, ficou restrito a um seleto grupo de homens extraordinários. Contudo, nos últimos tempos, popularizou-se e tomou-se uma das grandes ferramentas para o crescimento espiritual da humanidade.


Acredita-se que ela é transmitida de geração em geração por revelações, textos herméticos e pela importante tradição oral judaica, que variou ao longo dos séculos, indo desde a descrição mitológica da origem do universo às grandes especulações metafísicas e teológicas da natureza divina.


Em uma matéria inédita, a Sexto Sentido entrevista o Rabino Mishael Yehuda Halevi, da Sinagoga Elijah Kibbutz, que revela os aspectos mais controversos e místicos dessa antiga sabedoria.

ENTREVISTA AO RABINO
MISHAEL YEHUDA HALEVI



Por Alex Alprim, da Revista Sexto Sentido

Eu gostaria que o senhor nos explicasse de uma maneira simples - apesar do tema ser complexo - o que é a cabala?
Cabala é uma sabedoria universal. Ela não pertence única e exclusivamente ao povo judeu, mas é uma sabedoria que foi absorvida no decorrer dos milênios por todos os povos, e é encontrada na maioria dos povos do mundo. Basicamente, a cabala é uma ciência e uma sabedoria que visa produzir respostas para questões que, para a maioria das pessoas, não têm explicação.


E em que consistem essas respostas? Como elas surgem? Se elas existem em outros povos, como elas se relacionam? Existe alguma maneira de se buscar esse conhecimento de uma maneira palpável?
Sim. Por exemplo, temos os conhecimentos dos livros sagrados, da Torá, que são os cinco livros de Moisés, nos quais está escrito tudo que existe, existiu e vai existir. E só a cabala ou os cabalistas é que têm as ferramentas para retirar esse conhecimento de dentro de histórias metafóricas, que são códigos que J encerram essas verdades. Ela traz para fora as questões e as respostas codificadas nessas histórias.


Isso teria algo a ver com aquele livro Os Códigos da Bíblia?
Bem, Os Códigos da Bíblia é uma das partes da sabedoria. Na realidade, os judeus, os rabinos cabalistas, sabem da existência dos códigos há mais de 3.000 anos.


E quais são as ferramentas que existem para se estudar a cabala?
Para se estudar cabala é necessário ter o acompanhamento de um mestre cabalista. Com isso, você vai ter contato com a verdadeira cabala, e não com alguma vertente da cabala ou com alguém que estudou cabala e criou sua linha de entendimento. É necessário que se estude cabala com um judeu. Então, você vai ter acesso à pura sabedoria da cabala. Existem quatro ferramentas principais com as quais nós lidamos para retirar os conhecimentos dos livros sagrados, não só da Torá, mas de todo o chamado e conhecido como Antigo Testamento.


Essas ferramentas estão inseridas num acróstico que é traduzido aqui para "Paraíso Pomar", que seria a palavra Pardes, que é escrita com quatro letras: p, r, d, s; o "p" sendo de pechat, que é "entendimento literal"; o "r" de rhemes, que seria "metáforas e ilusões"; o derasch, que seria "pesquisas", que inclusive já gerou o conhecido Talmude; e o "s", que é de sod, e se refere à cabala, que é o nível espiritual, além das letras hebraicas que os textos contêm.


O senhor teve contato com pessoas que pertenceram a outras culturas e que também tinham esse tipo de conhecimento?
Na realidade, nós vemos que a cabala está presente em outros povos e culturas, como no budismo, por exemplo. Quando alguém produz uma nova revelação, essa energia sobe e permeia todo mundo. Então, os receptores que estão abertos se conectam com esses depósitos, trazendo esta sabedoria para baixo e criando uma nova consciência; mas tudo teve princípio na cabala, e ela começou onde? No Jardim do Éden, com Adão.


Ele recebeu o primeiro livro de cabala, chamado Livro de Raziel, entregue a ele por um anjo chamado Raziel. A cabala explica que esse livro era tão poderoso que apenas folheá-lo era o mesmo que brincar com um cabo de alta tensão. Assim, essa sabedoria vem sendo estudada por milênios.


Pessoas que entraram no seio do povo de Israel, aprenderam, estudaram com rabinos, levaram para seus povos e assim por diante, e isso foi crescendo até chegar ao ponto em que nós estamos hoje.


Existe uma crença ocidental de que as idéias de reencarnação estão muito ligadas às culturas do Oriente como Japão, índia e China, e de que a filosofia mística ocidental não se refere muito à idéia da reencarnação.


Existe a noção de reencarnação na cabala?
Existe, desde o princípio. Aliás, desde quando o homem foi retirado do Jardim do Éden, "a roda", como nós chamamos - ou girgul, em hebraico -, a palavra reencarnação existe. Por exemplo, no capítulo 2, verso 7 do Gênese, que conta a história da criação do homem, é dito que Deus soprou em suas narinas o fôlego de vida. Em hebraico, a palavra que está escrita é neichma rain, "espírito de vidas". A palavra "vida" não existe na língua hebraica, não tem singular. Sempre que a palavra hebraica "vida" aparece na Bíblia, em hebraico, ela está escrita no plural, "vidas".


O que acontece é que Adão trouxe a consciência do pecado, e todas as almas estavam nele. O que as pessoas não sabem é que o Adão do Jardim do Éden não era uma figura humana, mas uma figura espiritual, energia, e nele estavam todas as almas que povoariam o mundo. Então, quando Adão trouxe a consciência do pecado, o corpo dele foi fragmentado em milhares e milhares de centelhas, que descem ao mundo o tempo todo.


Existem várias vertentes do conhecimento. Nos primeiros milênios, aquelas grandes almas viviam mais tempo porque precisavam de mais tempo para evoluir espiritualmente. Quando eles começam a utilizar maio conhecimento da cabala acontece, por exemplo, o que é narrado na história da Torre de BabeI. Todo mundo pensa na existência física de uma torre, mas se você pesquisar e estudar, vai ver que existem poucas provas arqueológicas a respeito da existência de uma Torre de BabeI. A cabala explica que a torre, na verdade, não era física, mas apenas um código. No Gênese, é dito que só havia uma língua falada em todo o mundo naquela época, que era o hebraico. A palavra "hebraico" é escrita Ivritz, e significa "do outro lado". O que, na realidade, encerra essa história metafísica? É que estavam construindo um portal dimensional, a fim de que pudessem se locomover de um universo para outro, e se elevando espiritualmente. Assim, começaram a utilizar novos conhecimentos. Veio a questão do dilúvio, e a vida do homem foi diminuída em setenta anos para que se pudesse acelerar sua evolução espiritual.


Por viverem tanto, os erros acabavam se prolongando.


A questão da causa e efeito.


Então, ao contrário do que se imagina, a tendência a uma vida mais longa não necessariamente indica uma melhoria em nossa vida espiritual?
Não, porque, por exemplo, a sabedoria que existe hoje não é sequer metade da que existiu no tempo da Torre de BabeI. Há, nos dias atuais, uma grande sabedoria permeando o mundo, de forma que grandes cabalistas do povo de Israel produzem até grandes milagres através da sabedoria da cabala. A sabedoria da cabala está nas letras hebraicas dos livros.


Na realidade, as letras foram erradamente chamadas de "alfabeto hebraico". Não é bem isso. Aquelas letras são energias inteligentes, elas são a razão da criação do universo. Quando tudo foi formado, foi pela permutação dessas letras hebraicas. Por exemplo: as pessoas não sabem, mas com relação à história da abertura do mar - e, abrindo um parêntese aqui, na Bíblia não existe o Mar Vermelho - em hebraico está escrito Ayin Sof, que seria "O Mar do Infinito". Para abrir o mar, Moisés usou o que hoje nós chamamos de os "72 nomes divinos", que estão escritos no capitulo 14, versículos 19,20 e 21 do Gênese. Cada versículo, com 72 letras em hebraico. Quer dizer, acima do permitido pela estatística do acaso. Três versículos com 72 letras, o que significa que aÍguém colocou aquilo ali propositadamente. Os cabalistas decodificaram e retiraram os segredos. De fato, a visualização dessas letras produz grandes milagres e outras coisas.


Existem várias linhas de pensamento ocidentais, principalmente a partir dos séculos 18 e 19, que utilizam os conhecimentos da cabala para desenvolver sociedades iniciáticas, práticas de magia e práticas esotéricas. Durante muito tempo, a cabala esteve extremamente ligada à idéia do esoterismo mágico. Existem essas capacidades dentro da cabala? Isso faz parte do estudo ou, na verdade, é uma conseqüência do estudo?


Nós poderíamos dizer que isso é uma conseqüência do estudo, porque os cabalistas não se utilizam de práticas de "magia". Nós podemos produzir mudanças no mundo físico através do conhecimento da cabala e das letras, mas isso não é uma coisa que se vende como magia; até foram atribuídos poderes desse tipo a grandes rabinos do passado, cabalistas. Por exemplo, existe a história de Isaac Luria, que viveu no século 16. Dizem que, todas as sextas-feiras, o Ari, como era conhecido, subia as colinas para receber a noiva. Isso seria um código para o shabat sagrado do povo de Israel. Numa dessas vezes, ele disse a seus discípulos: "Vamos para Jerusalém". E eles responderam: "Rabi, Jerusalém está muito longe daqui, e já é quase pôr-do-sol. Nós não vamos conseguir chegar a tempo". Mas o rabi disse: "Nós vamos!" Eles começaram a cantar canções de cabala e, quando perceberam, já estavam em Jerusalém. E aí vai do entendimento de cada um, para procurar compreender o que aconteceu: se eles caminharam e chegaram a Jerusalém, ou se eles foram transportados milagrosamente. Porque a sabedoria da cabala produz mudanças no mundo físico. Todos os dias nós presenciamos isso.


Como está o trabalho dos cabalistas, hoje?
Existem poucas instituições no mundo que sejam realmente cabalistas. Hoje, estão voltando os livros sobre cabala e também muita coisa sobre a Torá. São níveis simples: é o começo da quebra da consciência robótica. Vamos usar um exemplo simples: Matrix (Nota: o rabino está fazendo uma referência ao filme The Matrix).


Quebrar a ilusão da matrix.
Isso. Por exemplo, a ciência explica que tudo que existe no universo é composto por formas esféricas: átomos, moléculas e assim por diante. Se tudo é composto por formas redondas, como explicar que tudo o que nós vemos é quadrado? Isso é uma ilusão produzida pelo mundo físico, que é uma ilusão, porque o verdadeiro mundo não é este aqui: isso aqui é uma ilusão.


Isso estabelece um paralelo com as idéias dos hindus a respeito do véu de Maya.
Sim! Então, nós temos de romper o véu para poder enxergar melhor as coisas. Por exemplo, esta parede é formada por letras. Que letras? As letras hebraicas que criaram todo o universo. Um cabalista que se elevou muito espiritualmente, quebra essa ilusão do chamado Satã. As pessoas -imaginam que o Satan é um ser com chifres e rabo, mas na realidade a palavra Satan é uma palavra código para "contra-inteligência", que seria uma programação inserida nesse DNA metafísico. Então, essa programação provoca a ilusão que as pessoas têm a respeito das coisas. A quebra dessa programação, que as pessoas têm por causa de Satan, faz com que nós comecemos a nos conectar com o verdadeiro mundo, o mundo de verdade. Além da matrix.


Essa idéia de Satã seria semelhante à que existe em algumas filosofias, do inimigo interior que seria um reflexo da pessoa?
Exatamente. Isso saiu da cabala.


O Satã é isso. Vamos citar aqui o exemplo de Jesus que, possivelmente, teria sido um cabalista. Teria estudado a cabala, e os milagres que ele produzia realmente estariam ligados à manipulação das letras em hebraico.


Existem várias citações em que Jesus é chamado de rabi.
Sim. Ele era um rabi, segundo consta na história. Nas passagens sobre a vida de Jesus, há muita cabala, como, por exemplo, quando ele foi levado ao deserto e tentado pelo diabo. As pessoas interpretam este fato literalmente, mas na realidade a palavra que aparece no original em hebraico é Satan, que seria "contra-inteligência", ou seja, os seus próprios inimigos; ele estava combatendo os seus inimigos interiores. E talvez o deserto seja o melhor lugar para isso, porque quanto maior a dificuldade, mais luz a ser revelada. Por exemplo, a lâmpada. Por que ela acende? É devido à resistência. Ela incandesce e acende. Assim como ocorre com a resistência, a dificuldade produz luz.


Como a matemática se conecta com a cabala?
Vou dar um exemplo. Quando nós falamos em reencarnação, podemos descobrir ou conhecer quais são as almas reencarnadas. Pegamos o nome, fazemos o estudo das letras daquele nome, fazemos cálculos gemátricos, que seriam cálculos numéricos - porque, para cada letra hebraica, existe um valor numérico - e encontramos uma razão que nos conecta com a revelação de quem seria essa alma.


Pode-se dizer, então, que toda a história humana se conecta através da cabala, em todos os seus grandes eventos e até mesmo nos pequenos eventos?
A cabala é a grande sabedoria universal. Está por trás de toda a razão do universo.


Qual é a coluna vertebral da cabala? Existe uma lei máxima na cabala?
Existe uma lei máxima, que é a lei da Torá, resumida num único verso: "Amarás ao próximo como a ti mesmo". Esta é a razão de todo cabalista. Ao contrário do que as pessoas pensam, este verso não é um verso cristão, mas se encontra no Levítico. "Amarás ao próximo como a ti mesmo resume toda a razão da cabala. Trabalhar em função do crescimento e da elevação espiritual do próximo.

domingo, 6 de junho de 2010

RECORDAÇÕES DE UM JURAMENTO




RECORDAÇÕES DE UM JURAMENTO


O texto abaixo é uma canalização!
Logo quando abri as portas não sabia onde estava e realmente não fazia a mínima idéia de como havia chegado àquele local. O sol era forte para os meus olhos! Aos poucos acostumei-me com aquela claridade toda e decidi colocar os pés naquilo que parecia ser um jardim composto de árvores (ou seria uma floresta?).
Assim que pisei na terra senti algo acontecer e ao me virar não haviam mais as portas. Eu estava só e num mundo imaginário. Seria sonho? Uma visão? Como sair dali?
De repente eu me vi correndo e sentia que era um índio e meus cabelos eram escorridos até quase os ombros, na testa havia uma tira de pano de cor vermelha, mas bem escuro era este vermelho. Não sabia como era possível isto, mas eu me via e sabia que era eu quem corria. Que loucura!
As árvores eram estranhas, pareciam ter um caule fino, eram longas, grandes, e quanto mais eu corria, mais parecia que eu me tornava como uma delas, me mimetizando nas suas cores, de repente era só rosto, ou só corpo, ou os pés, ou as mãos. Eu só sabia que eu corria e por mais que quisesse ver meu rosto, pouco me era possível ver, para ser sincero... Nada.
De repente já não corria, via umas estranhas formações semelhantes a cruzes. Uma delas chamou-me a atenção! Era eu pendurado numa delas, o mesmo índio, com a mesma tira de pano na testa, cabeça abaixada, rosto escondido pelos cabelos pendentes e os braços postos para trás. Eu não parecia preso na cruz, apenas parecia estar pendurado pelos braços. Eu fiquei rodando em torno de mim mesmo e de repente resolvi colocar meu corpo sobre meus ombros. Carreguei e de repente já não estava ali, estava diante de uma fogueira. O corpo que eu carregava agora se estendia deitado sobre o chão e eu preparava meu corpo com ervas. O fogo, as folhas, que segurava nas mãos, o aparecimento de outros seres ao redor da fogueira, como se fosse um conselho de curadores. Eu agitava minhas folhas sobre o corpo estendido. Mais uma vez eu estava me vendo e sabendo que aquele era eu, na verdade eu era, agora, o corpo estendido no chão, o feiticeiro e quem observava. Os outros seres permaneciam imóveis, mas pareciam gerar forças para aquela cerimônia e logo o feiticeiro sumiu. Ficou apenas o corpo estendido no chão, a fogueira era quase um facho de luz e acima parecia acontecer algo: luzes começavam a se formar a partir do céu. Deuses começavam a descer naquele local. Eles iam e vinham sem que se pudesse gravar quaisquer de suas formas. De uma hora para a outra eu sou novamente o homem estendido que agora está sentado com as pernas cruzadas. Seu rosto não me é visível. Ele está com a cabeça baixa. Algo acontece com ele, mas é interno.
De repente, uma figura alta, aparentemente feminina aparece. Ela vem vestida com uma roupa cheia de franjas nos braços. Ela dança uma dança frenética e rodopiante. Aquilo faz o meu corpo se arrepiar da cabeça aos pés. Ela dança como se dançasse dentro de meu corpo, dentro de cada parte do meu corpo. Em seguida ouço lobos uivando! Muitos! Sinto-os vindo em minha direção! Eles se jogam sobre meu corpo, me lambem, me acariciam com seus corpos, brigam entre si agarrados ao meu corpo, esfregam seus sexos em mim. Eles estão me curando tanto quanto a senhora rodopiante.
Tudo se esfumaça e já não há mais lobos. Meu corpo sente os respingos da chuva e ali, quieto e imóvel, eu sinto a chuva cair impiedosamente, vejo poças d’água formando-se e ouço o zunir dos ventos. Continuo imóvel e impassível. Lentamente ela passa e me vejo andando e correndo e muitas cenas se desenrolam céleres por minha mente. Vejo pessoas me abraçando, mulher, filhos, tendas, amigos, conselhos, danças do sol. Imaginação? Verdade? Não sei precisar, minha mente em nada se fixa.
Novo som de tempestade e agora estou dentro de uma caverna. Abrigado da chuva e aquecido por uma fogueira. Logo a chuva passa e já não estou dentro da caverna. Estou, quem sabe, em cima de uma montanha. O céu está estranho. Vozes ecoam pelos céus, não compreendo suas palavras. Mas sei o que são e neste instante eu percebo que estou diante de um fato marcante de minha vida: o dia em que eu jurei defender a Terra. Este dia aconteceu em alguma vida minha. Em alguma parte do planeta. Pode ser naquele local ou em outro. Mas aquela visão me fez recordar de meu juramento solene diante dos deuses e da Mãe Terra. Eu prometera defendê-la e ajudá-la! Eu precisava cumprir minha promessa!
Eu despertei!

Data da canalização: 01 de Janeiro de 2002

Viagem astral: O Elo entre o Físico e o Espiritual







Viagem astral: O Elo entre o Físico e o Espiritual
Mensagem de Geremyia canalizada por Ann Brewer
Um ser humano consiste em um corpo físico e quatro corpos sutis: o duplo etérico, emocional, mental e astral. Cada corpo sutil tem um papel específico para executar trazendo informação dos reinos não-físicos ao veículo físico. A responsabilidade de seu corpo astral é atravessar a lacuna entre as experiências que acontecem nos planos astrais e sua realidade física. Embora a maioria não tenha consciência de visitar outros planos astrais, você constantemente visita outros lugares a fim de incorporar ensinos etéricos à sua existência física. Alguns chamam isto de experiência fora-do-corpo (out-of-body experiences - OBE), outros chamam isto de viagem astral. Qualquer que seja a terminologia e se você tem ou não recordação consciente, todo ser humano sadio viaja durante o estado de sono para outros reinos.
Algumas pessoas podem estar frustradas porque pensam que não estão recebendo informação de seu espírito guia ou pensam que não sabem como contatar os seres não-físicos. Estas pessoas serão surpreendidas agradavelmente ao saber deste contato noturno! Alguma vez você despertou e tentou abrir seus olhos ou mover seus braços e pernas mas estava impossibilitado do movimento? Esta é uma situação na qual seu corpo físico despertou antes do retorno de seu corpo astral. Ou, então, alguma vez você teve sonhos onde você sobrevoava o quarto ou pairava em cima de seu corpo dormindo? Este é de fato seu corpo astral dando um alegre passeio antes de retornar ao seu campo físico. Existem sete planos astrais positivos e sete negativos associados com Terra.
Os planos astrais que você visita dependem principalmente do estágio de sua alma e seu progresso com seus ensinos espirituais. Por exemplo, as almas que existiram em sociedades "lightworker" da quinta dimensão como Plêiades ou Arcturus antes de reencarnarem na Terra podem visitar este plano astral, enquanto que almas "mais jovens" que se originaram no plano da Terra e não experimentaram outras dimensões, têm restrições para visitar alguns planos superiores.
Semelhante ao nosso sistema de educação, há uma tentativa para se agrupar essas almas como uma experiência para acelerar a aprendizagem. Aqueles que escolheram a energia escura, como a fonte de poder, podem visitar um dos planos astrais negativos desde que estes sejam os ensinos que lhes interessem. Porém, não existe uma regra definida, "trabalhadores da luz" não vão automaticamente para planos positivos enquanto os seres escuros não visitam necessariamente regiões negativas. Há muitas exceções. Se você teve alguma vez em uma vida passada uma relação íntima com um ser positivo em que foi apanhado em um plano astral negativo devido a algumas escolhas infelizes...você não está atento a sua relação passada em um nível consciente, mas sua alma retém na memória esta relação. Sua alma é atormentada pelo pensamento de um ser amado apanhado por seres escuros. Neste caso, seu astral viaja cada noite para o plano negativo para tentar salvar o ser amado.
Naturalmente, a viagem astral a um plano negativo não é defendida por que o faz vulnerável. Embora você possa levar proteção adequada quando visita o plano negativo, mesmo assim você pode não suportar. Mais ainda, você está batalhando com entidades negativas quando desce ao plano astral negativo, logicamente isto não é uma experiência agradável. Trabalhadores da luz que viajam para planos astrais negativos podem experimentar periodicamente pesadelos que estão tentando refletir suas experiência, ou eles poderiam despertar exaustos depois de dormir tranqüilamente uma noite inteira.
O corpo astral é a chave do seu crescimento espiritual devido a ponte que se constrói entre sua existência na Terra e seu trabalho no mundo não-físico. Freqüentemente, você avalia os outros por aspectos de sua existência diária e julga alguém por sua existência aparentemente inócua que parecem estar conduzindo. Porém, você não tem nenhum conceito do tipo de trabalho que eles estão fazendo no plano astral:
.  Você não tem nenhuma idéia do que a alma contrai, o que eles realmente fizeram em termos do suposto papel que realizam durante o corrente tempo de vida. 
.  Você não tem nenhuma visão de onde eles vieram, de que obstáculos eles criaram para melhorar seu propósito e aumentar sua experiência, ou onde eles vão. 
Entenda que todo o mundo está aprendendo no nível da alma, embora isto pareça não estar sendo integrado em sua existência terrestre. Julgar o progresso dos outros, não aceitar suas tentativas de evolução, só serve para criar blocos em sua própria evolução. Na transição deste plano ao término de sua vida física, você de fato extrai o seu corpo astral do seu corpo físico. Essencialmente, o corpo astral age como o vínculo conectando de vida para vida. Embora a maioria se refira a esta energia como a alma.
Entre reencarnações, você freqüenta uma escola astral em um dos sete planos positivos, revisa experiências passadas e aprende os ensinamentos de várias escolas de "mistério" e sociedades de alma. Aqueles que viveram experiências próximo-da-morte (near-death experiences - NDE) e se viram caminhando através da luz, de fato estavam movendo em seu corpo astral. Quando contudo determinam que não era hora para passar ao outro lado, eles dirigiram seu corpo astral de volta ao corpo físico. Desde que nós mantemos o nosso corpo astral depois de deixar o corpo (campo) físico, é até mesmo mais crítico curar algum dano que poderia residir neste corpo para manter completa sua capacidade enérgica. Alguns de vocês desenvolveram dano em seu corpo astral devido a vidas passadas que não sustentaram a integração de suas aprendizagens do espiritual para físico. Estes bloqueios impedem sua habilidade para transferir facilmente suas experiências noturnas em todos os seus dias de vida.
Se você sente separado da energia do Criador ou freqüentemente se sente frustrado ou bravo porque parece que você não pode aplicar sua perspectiva espiritual para sua existência diária, você pode ter algum dano espiritual e deve realizar exercícios de cura espiritual, como o que se segue:
.  Para curar o dano, deite (fique) em um banho ou flutue em uma piscina. Conscientemente extraia seu corpo astral de seu campo de energia e mergulhe mentalmente em uma suave luz azul. Quando você pode imaginar seu corpo astral incandescente com a luz azul, deixe-o flutuar na água com você até que sinta flutuante e saudável. Este é um exercício simples que lhe permite "reintegrar" a energia dos reinos espirituais mais altos ao seu corpo sutil, através da fusão dos seus campos vibracionais com os campos de vibração da água.

Caclule seu bioritmo - CLICK

TAROT DA CRUZ - Clik P/JOGAR

DIVULGANDO O LIVRO DE MARIA ALICE CERQUEIRA

Livro: "DOIS JOVENS EM BUSCA DA FELICIDADE " de uma amiga visite seu blog- clique na imagem

Livros grátis para download - todos os géneros

Blog Ebooks Grátis

Reflexão surpresa - clik

Reflexão surpresa - clik
de: SIMONE: Auto-ajuda

Acenda a sua vela

Acenda a sua vela
clik na imagem: