quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Resumo de livros - Cura Quantica


"O ser humano vivencia a si mesmo, seus pensamentos, como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é um tipo de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto apenas pelas pessoas mais próximas.
Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza.
Ninguém conseguirá atingir completamente este objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior".
Albert Einstein

Eu costumo resumir os livros que leio. Pegar frases, tópicos, palavras e expressões que me chamam a atenção. Aqui estão as melhores do livro do Dr. Deepack Chopra
A Cura quantica.1989

Entenda como funciona nossa mente:
 
Você não está aqui para tentar fazer com que o mundo seja tão justo quanto você gostaria que fosse. Você está aqui para criar um mundo em torno de suas escolhas ao mesmo tempo em que você permite que o mundo que outros escolheram também exista.
Você pode manter o foco nas coisas ruins que já lhe aconteceram ou mudar o foco para coisas boas que podem vir a acontecer. Quando as pessoas mantêm o foco no que elas querem, o que elas não querem perde a força.
Num certo sentido, temos dois cérebros, duas mentes e dois tipos diferentes de inteligência: racional e emocional.
Nosso desempenho na vida é determinado pelas duas não é apenas o Ql, mas a inteligência emocional que conta. Na verdade, o intelecto não pode dar o melhor de si sem a inteligência emocional. (equilíbrio das emoções)
O nome Ayurveda originou-se há mais de 4 mil anos; em sânscrito, significa “a ciência da vida”.  Os antigos médicos da Índia eram também grandes sábios e tinham como crença principal a idéia de que o corpo é criado pela consciência.
No Ayurveda, o requisito mais importante para a cura de qualquer desordem orgânica é um nível profundo e completo de relaxamento.Esse princípio se baseia no conceito de que o corpo sabe como manter o equilíbrio, a não ser que esteja abalado pela doença; desse modo, se alguém deseja restaurar a capacidade de cura do próprio organismo, é necessário que faça tudo para readquirir o equilíbrio.
As pesquisas de curas espontâneas de câncer realizadas tanto nos Estados Unidos como no Japão demonstraram que, pouco antes do restabelecimento, quase todos os pacientes passam por uma alteração de consciência entendendo que a cura provém de sua mente e que o ambiente também é responsável pelo seu equilíbrio.
Por que não consideramos um milagre o corpo soldar um osso partido? O motivo pelo qual a mesma pessoa considera milagre a cura do câncer e não pense o mesmo a respeito da fusão de um osso do braço está ligado à união entre mente e corpo.
O braço partido solda-se porque a consciência o emenda, e o mesmo acontece na cura de um câncer, na longa sobrevivência de um caso de AIDS, na cura pela fé e mesmo na capacidade de viver até a idade avançada, sem se deixar abater por uma doença. 
A razão de nem todos conseguirem levar o processo de cura até onde devem resulta do fato de nos diferenciarmos drasticamente quanto a nossa capacidade de mobilizá-la.
Aparentemente, os pacientes bem-sucedidos aprenderam a motivar a própria cura e conseguiram, nos casos mais felizes, ir além. Descobriram o segredo da cura quântica.
São os gênios da união entre a mente e o corpo
A cura quântica afasta-se dos métodos da alta tecnologia e penetra nos meandros mais profundos do sistema mente corpo nesse núcleo que ela se inicia. Para atingi-lo e aprender a provocar a resposta de cura é necessário que você atravesse todos os níveis mais densos do corpo: células, tecidos, órgãos e sistemas; atingirá, então, o ponto de união entre a mente e a matéria, o ponto em que a consciência realmente começa a causar um efeito.
A mente subconsciente é simplesmente programada para reconhecer e atrair aquilo que é familiar, não necessariamente o que é desejável.
O subconsciente é o armazém de suas atitudes,
valores e crenças, e ele controla a sua vida habitual nas respostas. 
Uma vez perguntaram ao Dr. Kari Menninger, famoso psiquiatra, o que ele recomendaria a alguém que estivesse a ponto de ter uma crise nervosa. Ele disse para a pessoa sair de casa, ir ao encontro de alguém necessitado e ajudar essa pessoa.
Um corpo doente é um corpo que não está tranqüilo. Nossa fisiologia cria doenças como um alerta para que nós saibamos que nós estamos fora de equilíbrio. Para que saibamos que não estamos amando, que não estamos firmes. Os sintomas do corpo não são coisas terríveis.
Nós temos o programa básico que se chama AUTO-CURA. Se você se cortar, a pele crescerá de novo. Se você tiver uma infecção bacteriana, o sistema imunológico entra em ação e dá conta de tais bactérias. O sistema imunológico é feito para curar a si próprio. Doenças não sobrevivem em um corpo que está emocionalmente saudável.
O seu corpo elimina milhões de células a cada segundo e cria milhões de células novas. Na verdade, literalmente, partes do nosso corpo são substituídas todos os dias. Outras partes levam alguns meses, outras levam alguns anos. Dentro de alguns anos, nós temos um corpo físico totalmente novo. 
Se você tiver uma doença e se concentrar nela, se você falar a outras pessoas a respeito, você irá criar mais doença.
São nossos pensamentos e emoções que, continuamente, re-montam, re-organizam, re-criam o nosso corpo. Remova o stress fisiológico do corpo e ele fará o que ele foi projetado para fazer. Ele irá curar a si mesmo.
O segredo, como quase todo o resto do declínio “natural” da velhice, depende dos hábitos mentais, e não do conjunto de circuitos do sistema nervoso. Enquanto uma pessoa se mantiver mentalmente ativa, continuará com a mesma inteligência da juventude e da idade madura. A senilidade não é fisicamente normal em um cérebro saudável.
Qualquer médico que exerça a profissão sabe que a vontade do paciente em se curar é parte vital do tratamento. Mesmo integrando a medicina “severa”, a maioria dos médicos aceita a idéia de que a atitude, a crença e as emoções são atuantes
Se a sanidade pode ser conservada por meio dos alimentos, capazes de promover até a melhora no estado de espírito, os princípios básicos da medicina mente-corpo ficam ainda mais confusos. Você pode confiar na mente para curar artrite e, ao mesmo tempo, alegar que comer chocolate o deixa deprimido?
Se você está descascando batatas e corta o dedo, o corte se cura e, evidentemente, você não fica deslumbrado com isso, porque o processo de cicatrização — a coagulação do sangue para fechar o corte, a formação de uma crosta e a regeneração da nova pele e dos vasos sanguíneos — parece uma coisa absolutamente normal.
Quando uma célula de sangue chega à borda de um corte e começa a formar um coágulo, não viajou até ali ao acaso. Sabe realmente aonde quer ir e o que fazer quando chegar, com a mesma certeza de um especialista — com mais até, de fato, já que age de forma completamente espontânea e não procura adivinhar.
Devemos admitir que o corpo tem uma mente própria. Quando compreendemos esse aspecto misterioso de nossa natureza básica, desaparece a natureza milagrosa que atribuímos à cura. Os corpos de todo mundo sabem como curar um corte na pele, mas aparentemente poucos deles sabem como curar o câncer.
A frustrante realidade, no que se refere aos pesquisadores médicos, é já sabermos que o corpo vivo é a melhor farmácia inventada até hoje.
Ele produz diuréticos, analgésicos, tranquilizantes, soníferos, antibióticos e tudo mais que é fabricado pelas indústrias de drogas, mas sua produção é muito superior.
A dosagem é sempre certa e ministrada no horário adequado; os efeitos colaterais são mínimos ou inexistentes; as indicações para o uso estão incluídas na própria droga, como parte de sua inteligência.
O filósofo grego Heráclito foi o autor do famoso comentário: “Não podemos entrar num rio duas vezes no mesmo lugar”, já que ele está em constante mudança com a chegada de novas águas. O mesmo acontece com o corpo.
Todos nós nos parecemos muito mais com um rio do que com qualquer coisa petrificada no tempo e no espaço. Se você pudesse ver seu corpo como realmente é, nunca o veria repetir-se. 90% dos átomos de nosso corpo não estavam nele há 3 meses.
É como se vivêssemos num edifício cujos tijolos fossem sistematicamente trocados a cada ano. Se for seguida a planta original, ele continuará parecendo o mesmo prédio.
Tudo o que acontece no universo mental
necessariamente deixa sinais no físico. 
Observando essas moléculas girarem enquanto o cérebro pensa, os cientistas viram que cada acontecimento distinto no universo da mente — como a sensação de dor ou de uma intensa lembrança — desencadeia novo modelo químico do cérebro, não apenas em um ponto, mas em muitos.
Literalmente, podemos ler a mente de outras pessoas pela mudança constante de suas expressões faciais; quanto a nós mesmos, ainda que sem notar, também registramos os milhares de gestos da linguagem do corpo como um sinal de nosso estado de espírito e das intenções das pessoas para conosco.
Nosso corpo é a imagem física, em 3D, do que estamos pensando.



retirado de: 
http://laurabotelhoquantica.blogspot.com/2009/10/create-myspace-playlist-at-mixpod.html?utm_source=BP_recent

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Medos



os nossos medos, mais nada são, que capas de memórias que trazemos encrostadas dentro na alma, que accionamos, que nos fazem sentir  frágeis, e nos fazem, na maioria das vezes, sentirmo-nos afastados de Deus, ou mesmo, negar Deus

vencendo-os, apenas, chegaremos a ELE

ANALUZ

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Homenagem a Whitney Houston


Faleceu a Diva
Whitney Wouston

uma das melhores vozes do mundo,
para mim a melhor, sem dúvida
uma verdadeira estrela no céu e na terra,
partiu para o mundo espiritual
chegou a hora dela

Aqui lhe deixo uma pequena homenagem, e peço a Deus Pai que lhe dê o lugar merecido.


Adeus  Whitney
que Deus te tenha em muita Luz



1963 - 2012


deixo aqui um vídeo de uma música - a minha preferida - de todas elas
nesta música ela fala com Deus










Letra:

Eu Olho Para Ti
Ao me deitar
O céu me ouve agora
Estou perdida sem uma causa
Depois de me dar por inteira

As tempestades de Inverno vieram
E escureceram meu sol
Depois de tudo que passei
A quem posso me voltar?

(Refão)
Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
Depois que toda a minha força se foi
Em você posso ser forte

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
E quando as melodias se foram
Em você ouço uma canção, eu olho a Ti

(Verso 2)
Depois que perco a minha respiração
Não há mais porque lutar
Não há mais pensamentos de se reerguer
Procurando por aquela porta aberta

E cada caminho que tomei
Levou-me ao desgosto
E não sei se irei fazer
Nada a fazer senão levantar a minha cabeça

(Refrão)
Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
Depois que toda a minha força se foi
Em você posso ser forte

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
E quando as melodias se foram
Em você ouço uma canção
Eu olho para Ti

(Coro)
O meu amor foi todo destruído (oh Senhor)
As minhas paredes caíram sobre mim
Caindo sobre mim (a chuva está caindo)

A chuva está caindo
A derrota está chamando (me liberte)
Preciso de você para me libertar
Leve-me para longe da batalha
Preciso de você para brilhar sobre mim

(Refrão)
Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
Depois que toda a minha força se foi
Em você posso ser forte

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
E quando as melodias se foram
Em você ouço uma canção
Eu olho para Ti

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Minha solidão


Autor da imagem:©Simxa

gosto muito de estar sózinha!
é nesses momentos que me sinto ser, me reconheço
porque não ouço vozes que me possam tirar de meu mundo interior
e neles me vou descobrindo, meus valores e desvalores
minha dores e ansiedades estão livres para se expressarem
dando-me a oportunidade, sem interferências, de as começar a explorar e as entender
é verdade, também
as dores são mais sentidas, mas sem represálias de ninguém
saiem de mim e rodeiam à minha volta
e as sinto vivas
porque são muitas e não as entendo, muitas delas

é na minha solidão que busco meu Deus
no meu interior e exterior
tento encontrar o sentido da Vida
que tanto me fascina, como me impressiona
o mistério dela mesma em mim e nos outros
chego a conseguir sentir minha consciência à parte de todos
e sei que nesses momentos tenho consciência
que o que estou vivendo, no momento, só o eu estou vivendo

e isso fascina-me!!
compartilho a minha vida com outros seres, como todos vós
mas nessa solidão consigo reconhecer que sou, somos
seres maravilhosos
cada um com a sua realidade!!

neste momento, vejo as quatro paredes que me rodeiam
ouço os sons que me rodeiam
sinto-me dentro
o cheiro do que está à minha volta
tudo isso é uma realidade só minha
ninguém mais no mundo a tem, igual
e para mim isso é reconhecer Deus

porque me deu meu mundo
só meu
como a cada um de vocês
para experienciarmo-nos
sentirmo-nos e reconhecermos a nossa consciência e o que está dentro dela

por isso tudo
vivo e revivo
a minha solidão

e a amo!!!



Analuz

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Sou, ora


não sou mais quem sou
quem fui
quem era

não me sinto mais ser
neste mundo
nesta era

apenas sombra
uma luz ténue

do que fui
outrora
do que fui
deveras

e sinto
apenas, um tormento na alma
que me acompanha
mesmo que dele me queira esvair
correr, fugir,
sou
como sei
sou
agora, apenas sou

um reflectir
do que algum dia
fora

Aquilo que Sou



sou criança

até que Deus me leve ...

Analuz



sábado, 4 de fevereiro de 2012

Deixa-me



por favor
deixa-me

deixa-me na minha escuridão


deixa-me

deixa-me aprofundar nela

é apenas o que a minha Alma quer neste momento

por favor
não me forçes

deixa-me

deixa-me ser ela
por momentos

porque apenas sei
ora
que com ela
sou
apenas sou
mesmo no desalento ....


Analuz

morrer por dentro




Onde está a alegria
de um olhar
onde está o amor
que me eleva
onde está a paixão, arrebatadora, que tudo arrebata
onde está o sol brilhante, que aquece, 
e amornece, 
a alma

onde está o prazer de sorrir, com vontade
gargalhar à desbarata
onde está o vento que toca na pele e me faz energizar
até alcançar a minha pura nata

não consigo, acreditar
a vida escorre e nada mais
meus sonhos se ultrapassam, a si mesmos
e eu me encontro estagnada
sem fronteiras, jamais

e não entendo, não
porque  permaneço aqui
onde a vida, ela própria
eu sei
já não faz parte de mim


Analuz







sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Uma Alma Grande ...







Sou louco porque vivo em um mundo que não merece minha lucidez
Bob Marley

Para que levar a vida tão a sério, se a vida é uma alucinante aventura da qual jamais sairemos vivos.
 
 

Salvar Vidas

 
 
 
O último dia de vida


Naquela manhã, sentiu vontade de dormir mais um pouco. Estava cansado porque na noite anterior fora deitar muito tarde. Também não havia dormido bem. Tinha tido um sono agitado. Mas logo abandonou a idéia de ficar um pouco mais na cama e se levantou, pensando na montanha de coisas que precisava fazer na empresa. Lavou o rosto e fez a barba correndo, automaticamente. Não prestou atenção no rosto cansado nem nas olheiras escuras, resultado das noites mal dormidas. Nem sequer percebeu um aglomerado de pelos teimosos que escaparam da lãmina de barbear. "A vida é uma seqüência de dias vazios que precisamos preencher", pensou enquanto jogava a roupa por cima do corpo.
Engoliu o café e saiu resmungando baixinho um "bom dia", sem convicção. Desprezou os lábios da esposa, que se ofereciam para um beijo de despedida. Não notou que os olhos dela ainda guardavam a doçura de mulher apaixonada, mesmo depois de tantos anos de casamento. Não entendia por que ela se queixava tanto da ausência dele e vivia reivindicando mais tempo para ficarem juntos. Ele estava conseguindo manter o elevado padrão de vida da família, não estava?
Isso não bastava?
Claro que não teve tempo para esquentar o carro nem sorrir quando o cachorro, alegre, abanou o rabo. Deu a partida e acelerou. Ligou o radio, que tocava uma cangão antiga do Roberto Carlos, "detalhes tão pequenos de nós dois..." Pensou que não tinha mais tempo para curtir detalhes tão pequenos da vida. Anos atras, gostava de assistir ao programa de Roberto Carlos nas tardes de domingo. Mas isso fazia parte de outra época, quando podia se divertir mais.
Pegou o telefone celular e ligou para sua filha. Sorriu quando soube que o netinho havia dado os primeiros passos. Ficou sirio quando a filha lembrou-o de que ha tempos ele não aparecia para ver o neto e o convidou para almoçar. Ele relutou bastante: sabia que iria gostar muito de estar com o neto, mas não podia, naquele dia, dar-se ao luxo de sair da empresa.
Agradeceu o convite, mas respondeu que seria impossível. Quem sabe no próximo final de semana? Ela insistiu, disse que sentia muita saudade e que gostaria de poder estar com ele na hora do almoço. Mas ele foi irredutível:
realmente, era impossível.
Chegou à empresa e mal cumprimentou as pessoas. A agenda estava totalmente lotada, e era muito importante comegar logo a atender seus compromissos, pois tinha plena convicção de que pessoas de valor não desperdiçam seu tempo com conversa fiada. No que seria sua hora do almoço, pediu para a secretária trazer um sanduíche e um refrigerante diet. O colesterol estava alto, precisava fazer um check-up, mas isso ficaria para o mês seguinte.
Começou a comer enquanto lia alguns papéis que usaria na reunião da tarde. Nem observou que tipo de lanche estava mastigando.
Enquanto engolia relacionava os telefones que deveria dar, sentiu um pouco de tontura, a vista embaçou. Lembrou-se do médico advertindo-o, alguns dias antes, quando tivera os mesmos sintomas, de que estava na hora de fazer um check-up. Mas ele logo concluiu que era um mal-estar passageiro, que seria resolvido com um café forte, sem açúcar.
Terminado o "almoço", escovou os dentes e voltou à sua mesa. "A vida continua", pensou. Mais papéis para ler, mais decisões a tomar, mais compromissos a cumprir.
Nem tudo saía como ele queria. Comegou a gritar com o gerente, exigindo que este cumprisse o prometido. Afinal, ele estava sendo pressionado pela diretoria.
Tinha de mostrar resultados. Será que o gerente não conseguia entender isso?
Saiu para a reunião ja meio atrasado. Não esperou o elevador. Desceu as escadas pulando de dois em dois degraus. Parecia que a garagem estava a quilômetros de distância, encravada no miolo da terra, e não no subsolo do prédio.
Entrou no carro, deu partida e, quando ia engatar a primeira marcha, sentiu de novo o mal-estar. Agora havia uma dor forte no peito.
O ar comegou a faltar... a dor foi aumentando... o carro desapareceu... os outros carros também... Os pilares, as paredes, a porta, a claridade da rua, as luzes do teto, tudo foi sumindo diante de seus olhos, ao mesmo tempo em que surgiam cenas de um filme que ele conhecia bem. Era como se o videocassete estivesse rodando em câmara lenta. Quadro a quadro, ele via esposa, o netinho, a filha e, uma após outra, todas as pessoas que mais gostava.

Por que mesmo não tinha ido almoçar com a filha e o neto?
O que a esposa tinha dito à porta de casa quando ele estava saindo, hoje de manhã?
Por que não foi pescar com os amigos no último feriado?
A dor no peito persistia, mas agora outra dor comegava a perturba-lo:
a do arrependimento.
Ele não conseguia distinguir qual era a mais forte, a da coronária entupida ou a de sua alma rasgando.
Escutou o barulho de alguma coisa quebrando dentro de seu coração, e de seus olhos escorreram lágrimas silenciosas.
Queria viver, queria ter mais uma chance, queria voltar para casa e beijar a esposa, abraçar a filha, brincar com o neto... queria... queria... mas não deu tempo...

Para entender o valor de um ano: pergunte a um estudante que não passou nos exames finais.
Para entender o valor de um mês: pergunte a uma mãe que teve um filho prematuro.
Para entender o valor de uma semana: pergunte ao editor de uma revista semanal.
Para entender o valor de uma hora: pergunte aos apaixonados que estão esperando o momento do encontro.
Para entender o valor de um minuto: pergunte a uma pessoa que perdeu o trem, ônibus ou avião.
Para entender o valor de um segundo: pergunte a uma pessoa que sobreviveu a um acidente.
Para entender o valor de um milisegundo: pergunte a uma pessoa que ganhou uma medalha de prata nas Olimpmadas.
O tempo não espera por ninguem.
Valorize cada momento de sua vida.
Voce irá aprecia-los ainda mais se puder dividi-los com alguém especial.


A origem desta carta é desconhecida, mas, dizem, ela traz sorte para todos que a passam adiante.
... Apenas passe adiante. Dizem que Voce verá que algo de bom lhe acontecerá.
se não fôr assim, a si, 
ao menos, o seu coração (alma) lhe dirá: 


que pôde, quem sabe ...
abrir consciências, que dormiam,
Conseguir ao menos elucidar "alguém que precisava ouvir esse texto!"
Conseguir fazer alguém parar, por um instante, e olhar seu redor!
Conseguiu que alguém,  muda-se, Completamente seu modo de Vida;
Conseguir, Salvar ALGUÉM!!!

não acha que isso vale tudo a Pena??

Beijo na Alma

Analuz











Abandonado na altar, escritor viaja o mundo em busca das formas de amar

Deixado por sua noiva no momento em que se casava, o charmoso escritor Franz Wisner decidiu persistir com sua lua de mel, que já estava paga, porém de um jeito diferente. Ele levou seu irmão mais novo em uma viagem de dois anos, por 53 países, em busca das diferentes formas de amar e se relacionar do ser humano.
Divulgação
Após levar fora no altar, escritor investiga os diferentes tipos de amor

O resultado da longa excursão da dupla pelo planeta é o livro "Como o Mundo Faz Amor" (Verus Editora, 2012). A obra mostra como funcionam os encontros, os namoros, os casamentos, o sexo e o romance em vários pontos do globo, incluindo Índia, Brasil, Egito e Botsuana.

Franz ficou famoso após lançar, em 2006, "Honeymoon with My Brother: A Memoir" (Lua de Mel com Meu Irmão), no qual também faz relatos de sua viagem. A obra se tornou um best-seller e entrou para a lista dos mais vendidos do "New York Times".

Já casado --com uma mulher diferente da que o abandonou-- e com um filho pequeno, neste Livro o escritor levanta reflexões interessantes sobre a humanidade, sobre o amor e sobre como conseguiu superar a humilhação publica de ser rejeitado no altar adotando um novo estilo de vida.



Franz Wisner no continente africano em foto tirada durante sua "viagem de lua de mel" com o irmão
Franz Wisner no continente africano em foto tirada durante sua "viagem de lua de mel" por 53 país com o irmão
*"Como o Mundo Faz Amor"
Autor: Franz Wisner
Editora: Verus Editora
Páginas: 332

Tarot de OSHO clik

Se gosta de ERVAS e ESPECIARIAS CLIK

Se lhe interessa a NOVA ERA Clik

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Resumo de livros - Cura Quantica


"O ser humano vivencia a si mesmo, seus pensamentos, como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é um tipo de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto apenas pelas pessoas mais próximas.
Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza.
Ninguém conseguirá atingir completamente este objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior".
Albert Einstein

Eu costumo resumir os livros que leio. Pegar frases, tópicos, palavras e expressões que me chamam a atenção. Aqui estão as melhores do livro do Dr. Deepack Chopra
A Cura quantica.1989

Entenda como funciona nossa mente:
 
Você não está aqui para tentar fazer com que o mundo seja tão justo quanto você gostaria que fosse. Você está aqui para criar um mundo em torno de suas escolhas ao mesmo tempo em que você permite que o mundo que outros escolheram também exista.
Você pode manter o foco nas coisas ruins que já lhe aconteceram ou mudar o foco para coisas boas que podem vir a acontecer. Quando as pessoas mantêm o foco no que elas querem, o que elas não querem perde a força.
Num certo sentido, temos dois cérebros, duas mentes e dois tipos diferentes de inteligência: racional e emocional.
Nosso desempenho na vida é determinado pelas duas não é apenas o Ql, mas a inteligência emocional que conta. Na verdade, o intelecto não pode dar o melhor de si sem a inteligência emocional. (equilíbrio das emoções)
O nome Ayurveda originou-se há mais de 4 mil anos; em sânscrito, significa “a ciência da vida”.  Os antigos médicos da Índia eram também grandes sábios e tinham como crença principal a idéia de que o corpo é criado pela consciência.
No Ayurveda, o requisito mais importante para a cura de qualquer desordem orgânica é um nível profundo e completo de relaxamento.Esse princípio se baseia no conceito de que o corpo sabe como manter o equilíbrio, a não ser que esteja abalado pela doença; desse modo, se alguém deseja restaurar a capacidade de cura do próprio organismo, é necessário que faça tudo para readquirir o equilíbrio.
As pesquisas de curas espontâneas de câncer realizadas tanto nos Estados Unidos como no Japão demonstraram que, pouco antes do restabelecimento, quase todos os pacientes passam por uma alteração de consciência entendendo que a cura provém de sua mente e que o ambiente também é responsável pelo seu equilíbrio.
Por que não consideramos um milagre o corpo soldar um osso partido? O motivo pelo qual a mesma pessoa considera milagre a cura do câncer e não pense o mesmo a respeito da fusão de um osso do braço está ligado à união entre mente e corpo.
O braço partido solda-se porque a consciência o emenda, e o mesmo acontece na cura de um câncer, na longa sobrevivência de um caso de AIDS, na cura pela fé e mesmo na capacidade de viver até a idade avançada, sem se deixar abater por uma doença. 
A razão de nem todos conseguirem levar o processo de cura até onde devem resulta do fato de nos diferenciarmos drasticamente quanto a nossa capacidade de mobilizá-la.
Aparentemente, os pacientes bem-sucedidos aprenderam a motivar a própria cura e conseguiram, nos casos mais felizes, ir além. Descobriram o segredo da cura quântica.
São os gênios da união entre a mente e o corpo
A cura quântica afasta-se dos métodos da alta tecnologia e penetra nos meandros mais profundos do sistema mente corpo nesse núcleo que ela se inicia. Para atingi-lo e aprender a provocar a resposta de cura é necessário que você atravesse todos os níveis mais densos do corpo: células, tecidos, órgãos e sistemas; atingirá, então, o ponto de união entre a mente e a matéria, o ponto em que a consciência realmente começa a causar um efeito.
A mente subconsciente é simplesmente programada para reconhecer e atrair aquilo que é familiar, não necessariamente o que é desejável.
O subconsciente é o armazém de suas atitudes,
valores e crenças, e ele controla a sua vida habitual nas respostas. 
Uma vez perguntaram ao Dr. Kari Menninger, famoso psiquiatra, o que ele recomendaria a alguém que estivesse a ponto de ter uma crise nervosa. Ele disse para a pessoa sair de casa, ir ao encontro de alguém necessitado e ajudar essa pessoa.
Um corpo doente é um corpo que não está tranqüilo. Nossa fisiologia cria doenças como um alerta para que nós saibamos que nós estamos fora de equilíbrio. Para que saibamos que não estamos amando, que não estamos firmes. Os sintomas do corpo não são coisas terríveis.
Nós temos o programa básico que se chama AUTO-CURA. Se você se cortar, a pele crescerá de novo. Se você tiver uma infecção bacteriana, o sistema imunológico entra em ação e dá conta de tais bactérias. O sistema imunológico é feito para curar a si próprio. Doenças não sobrevivem em um corpo que está emocionalmente saudável.
O seu corpo elimina milhões de células a cada segundo e cria milhões de células novas. Na verdade, literalmente, partes do nosso corpo são substituídas todos os dias. Outras partes levam alguns meses, outras levam alguns anos. Dentro de alguns anos, nós temos um corpo físico totalmente novo. 
Se você tiver uma doença e se concentrar nela, se você falar a outras pessoas a respeito, você irá criar mais doença.
São nossos pensamentos e emoções que, continuamente, re-montam, re-organizam, re-criam o nosso corpo. Remova o stress fisiológico do corpo e ele fará o que ele foi projetado para fazer. Ele irá curar a si mesmo.
O segredo, como quase todo o resto do declínio “natural” da velhice, depende dos hábitos mentais, e não do conjunto de circuitos do sistema nervoso. Enquanto uma pessoa se mantiver mentalmente ativa, continuará com a mesma inteligência da juventude e da idade madura. A senilidade não é fisicamente normal em um cérebro saudável.
Qualquer médico que exerça a profissão sabe que a vontade do paciente em se curar é parte vital do tratamento. Mesmo integrando a medicina “severa”, a maioria dos médicos aceita a idéia de que a atitude, a crença e as emoções são atuantes
Se a sanidade pode ser conservada por meio dos alimentos, capazes de promover até a melhora no estado de espírito, os princípios básicos da medicina mente-corpo ficam ainda mais confusos. Você pode confiar na mente para curar artrite e, ao mesmo tempo, alegar que comer chocolate o deixa deprimido?
Se você está descascando batatas e corta o dedo, o corte se cura e, evidentemente, você não fica deslumbrado com isso, porque o processo de cicatrização — a coagulação do sangue para fechar o corte, a formação de uma crosta e a regeneração da nova pele e dos vasos sanguíneos — parece uma coisa absolutamente normal.
Quando uma célula de sangue chega à borda de um corte e começa a formar um coágulo, não viajou até ali ao acaso. Sabe realmente aonde quer ir e o que fazer quando chegar, com a mesma certeza de um especialista — com mais até, de fato, já que age de forma completamente espontânea e não procura adivinhar.
Devemos admitir que o corpo tem uma mente própria. Quando compreendemos esse aspecto misterioso de nossa natureza básica, desaparece a natureza milagrosa que atribuímos à cura. Os corpos de todo mundo sabem como curar um corte na pele, mas aparentemente poucos deles sabem como curar o câncer.
A frustrante realidade, no que se refere aos pesquisadores médicos, é já sabermos que o corpo vivo é a melhor farmácia inventada até hoje.
Ele produz diuréticos, analgésicos, tranquilizantes, soníferos, antibióticos e tudo mais que é fabricado pelas indústrias de drogas, mas sua produção é muito superior.
A dosagem é sempre certa e ministrada no horário adequado; os efeitos colaterais são mínimos ou inexistentes; as indicações para o uso estão incluídas na própria droga, como parte de sua inteligência.
O filósofo grego Heráclito foi o autor do famoso comentário: “Não podemos entrar num rio duas vezes no mesmo lugar”, já que ele está em constante mudança com a chegada de novas águas. O mesmo acontece com o corpo.
Todos nós nos parecemos muito mais com um rio do que com qualquer coisa petrificada no tempo e no espaço. Se você pudesse ver seu corpo como realmente é, nunca o veria repetir-se. 90% dos átomos de nosso corpo não estavam nele há 3 meses.
É como se vivêssemos num edifício cujos tijolos fossem sistematicamente trocados a cada ano. Se for seguida a planta original, ele continuará parecendo o mesmo prédio.
Tudo o que acontece no universo mental
necessariamente deixa sinais no físico. 
Observando essas moléculas girarem enquanto o cérebro pensa, os cientistas viram que cada acontecimento distinto no universo da mente — como a sensação de dor ou de uma intensa lembrança — desencadeia novo modelo químico do cérebro, não apenas em um ponto, mas em muitos.
Literalmente, podemos ler a mente de outras pessoas pela mudança constante de suas expressões faciais; quanto a nós mesmos, ainda que sem notar, também registramos os milhares de gestos da linguagem do corpo como um sinal de nosso estado de espírito e das intenções das pessoas para conosco.
Nosso corpo é a imagem física, em 3D, do que estamos pensando.



retirado de: 
http://laurabotelhoquantica.blogspot.com/2009/10/create-myspace-playlist-at-mixpod.html?utm_source=BP_recent

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Medos



os nossos medos, mais nada são, que capas de memórias que trazemos encrostadas dentro na alma, que accionamos, que nos fazem sentir  frágeis, e nos fazem, na maioria das vezes, sentirmo-nos afastados de Deus, ou mesmo, negar Deus

vencendo-os, apenas, chegaremos a ELE

ANALUZ

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Homenagem a Whitney Houston


Faleceu a Diva
Whitney Wouston

uma das melhores vozes do mundo,
para mim a melhor, sem dúvida
uma verdadeira estrela no céu e na terra,
partiu para o mundo espiritual
chegou a hora dela

Aqui lhe deixo uma pequena homenagem, e peço a Deus Pai que lhe dê o lugar merecido.


Adeus  Whitney
que Deus te tenha em muita Luz



1963 - 2012


deixo aqui um vídeo de uma música - a minha preferida - de todas elas
nesta música ela fala com Deus










Letra:

Eu Olho Para Ti
Ao me deitar
O céu me ouve agora
Estou perdida sem uma causa
Depois de me dar por inteira

As tempestades de Inverno vieram
E escureceram meu sol
Depois de tudo que passei
A quem posso me voltar?

(Refão)
Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
Depois que toda a minha força se foi
Em você posso ser forte

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
E quando as melodias se foram
Em você ouço uma canção, eu olho a Ti

(Verso 2)
Depois que perco a minha respiração
Não há mais porque lutar
Não há mais pensamentos de se reerguer
Procurando por aquela porta aberta

E cada caminho que tomei
Levou-me ao desgosto
E não sei se irei fazer
Nada a fazer senão levantar a minha cabeça

(Refrão)
Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
Depois que toda a minha força se foi
Em você posso ser forte

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
E quando as melodias se foram
Em você ouço uma canção
Eu olho para Ti

(Coro)
O meu amor foi todo destruído (oh Senhor)
As minhas paredes caíram sobre mim
Caindo sobre mim (a chuva está caindo)

A chuva está caindo
A derrota está chamando (me liberte)
Preciso de você para me libertar
Leve-me para longe da batalha
Preciso de você para brilhar sobre mim

(Refrão)
Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
Depois que toda a minha força se foi
Em você posso ser forte

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti
E quando as melodias se foram
Em você ouço uma canção
Eu olho para Ti

Eu olho para Ti
Eu olho para Ti...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Minha solidão


Autor da imagem:©Simxa

gosto muito de estar sózinha!
é nesses momentos que me sinto ser, me reconheço
porque não ouço vozes que me possam tirar de meu mundo interior
e neles me vou descobrindo, meus valores e desvalores
minha dores e ansiedades estão livres para se expressarem
dando-me a oportunidade, sem interferências, de as começar a explorar e as entender
é verdade, também
as dores são mais sentidas, mas sem represálias de ninguém
saiem de mim e rodeiam à minha volta
e as sinto vivas
porque são muitas e não as entendo, muitas delas

é na minha solidão que busco meu Deus
no meu interior e exterior
tento encontrar o sentido da Vida
que tanto me fascina, como me impressiona
o mistério dela mesma em mim e nos outros
chego a conseguir sentir minha consciência à parte de todos
e sei que nesses momentos tenho consciência
que o que estou vivendo, no momento, só o eu estou vivendo

e isso fascina-me!!
compartilho a minha vida com outros seres, como todos vós
mas nessa solidão consigo reconhecer que sou, somos
seres maravilhosos
cada um com a sua realidade!!

neste momento, vejo as quatro paredes que me rodeiam
ouço os sons que me rodeiam
sinto-me dentro
o cheiro do que está à minha volta
tudo isso é uma realidade só minha
ninguém mais no mundo a tem, igual
e para mim isso é reconhecer Deus

porque me deu meu mundo
só meu
como a cada um de vocês
para experienciarmo-nos
sentirmo-nos e reconhecermos a nossa consciência e o que está dentro dela

por isso tudo
vivo e revivo
a minha solidão

e a amo!!!



Analuz

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Sou, ora


não sou mais quem sou
quem fui
quem era

não me sinto mais ser
neste mundo
nesta era

apenas sombra
uma luz ténue

do que fui
outrora
do que fui
deveras

e sinto
apenas, um tormento na alma
que me acompanha
mesmo que dele me queira esvair
correr, fugir,
sou
como sei
sou
agora, apenas sou

um reflectir
do que algum dia
fora

Aquilo que Sou



sou criança

até que Deus me leve ...

Analuz



sábado, 4 de fevereiro de 2012

Deixa-me



por favor
deixa-me

deixa-me na minha escuridão


deixa-me

deixa-me aprofundar nela

é apenas o que a minha Alma quer neste momento

por favor
não me forçes

deixa-me

deixa-me ser ela
por momentos

porque apenas sei
ora
que com ela
sou
apenas sou
mesmo no desalento ....


Analuz

morrer por dentro




Onde está a alegria
de um olhar
onde está o amor
que me eleva
onde está a paixão, arrebatadora, que tudo arrebata
onde está o sol brilhante, que aquece, 
e amornece, 
a alma

onde está o prazer de sorrir, com vontade
gargalhar à desbarata
onde está o vento que toca na pele e me faz energizar
até alcançar a minha pura nata

não consigo, acreditar
a vida escorre e nada mais
meus sonhos se ultrapassam, a si mesmos
e eu me encontro estagnada
sem fronteiras, jamais

e não entendo, não
porque  permaneço aqui
onde a vida, ela própria
eu sei
já não faz parte de mim


Analuz







sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Uma Alma Grande ...







Sou louco porque vivo em um mundo que não merece minha lucidez
Bob Marley

Para que levar a vida tão a sério, se a vida é uma alucinante aventura da qual jamais sairemos vivos.
 
 

Salvar Vidas

 
 
 
O último dia de vida


Naquela manhã, sentiu vontade de dormir mais um pouco. Estava cansado porque na noite anterior fora deitar muito tarde. Também não havia dormido bem. Tinha tido um sono agitado. Mas logo abandonou a idéia de ficar um pouco mais na cama e se levantou, pensando na montanha de coisas que precisava fazer na empresa. Lavou o rosto e fez a barba correndo, automaticamente. Não prestou atenção no rosto cansado nem nas olheiras escuras, resultado das noites mal dormidas. Nem sequer percebeu um aglomerado de pelos teimosos que escaparam da lãmina de barbear. "A vida é uma seqüência de dias vazios que precisamos preencher", pensou enquanto jogava a roupa por cima do corpo.
Engoliu o café e saiu resmungando baixinho um "bom dia", sem convicção. Desprezou os lábios da esposa, que se ofereciam para um beijo de despedida. Não notou que os olhos dela ainda guardavam a doçura de mulher apaixonada, mesmo depois de tantos anos de casamento. Não entendia por que ela se queixava tanto da ausência dele e vivia reivindicando mais tempo para ficarem juntos. Ele estava conseguindo manter o elevado padrão de vida da família, não estava?
Isso não bastava?
Claro que não teve tempo para esquentar o carro nem sorrir quando o cachorro, alegre, abanou o rabo. Deu a partida e acelerou. Ligou o radio, que tocava uma cangão antiga do Roberto Carlos, "detalhes tão pequenos de nós dois..." Pensou que não tinha mais tempo para curtir detalhes tão pequenos da vida. Anos atras, gostava de assistir ao programa de Roberto Carlos nas tardes de domingo. Mas isso fazia parte de outra época, quando podia se divertir mais.
Pegou o telefone celular e ligou para sua filha. Sorriu quando soube que o netinho havia dado os primeiros passos. Ficou sirio quando a filha lembrou-o de que ha tempos ele não aparecia para ver o neto e o convidou para almoçar. Ele relutou bastante: sabia que iria gostar muito de estar com o neto, mas não podia, naquele dia, dar-se ao luxo de sair da empresa.
Agradeceu o convite, mas respondeu que seria impossível. Quem sabe no próximo final de semana? Ela insistiu, disse que sentia muita saudade e que gostaria de poder estar com ele na hora do almoço. Mas ele foi irredutível:
realmente, era impossível.
Chegou à empresa e mal cumprimentou as pessoas. A agenda estava totalmente lotada, e era muito importante comegar logo a atender seus compromissos, pois tinha plena convicção de que pessoas de valor não desperdiçam seu tempo com conversa fiada. No que seria sua hora do almoço, pediu para a secretária trazer um sanduíche e um refrigerante diet. O colesterol estava alto, precisava fazer um check-up, mas isso ficaria para o mês seguinte.
Começou a comer enquanto lia alguns papéis que usaria na reunião da tarde. Nem observou que tipo de lanche estava mastigando.
Enquanto engolia relacionava os telefones que deveria dar, sentiu um pouco de tontura, a vista embaçou. Lembrou-se do médico advertindo-o, alguns dias antes, quando tivera os mesmos sintomas, de que estava na hora de fazer um check-up. Mas ele logo concluiu que era um mal-estar passageiro, que seria resolvido com um café forte, sem açúcar.
Terminado o "almoço", escovou os dentes e voltou à sua mesa. "A vida continua", pensou. Mais papéis para ler, mais decisões a tomar, mais compromissos a cumprir.
Nem tudo saía como ele queria. Comegou a gritar com o gerente, exigindo que este cumprisse o prometido. Afinal, ele estava sendo pressionado pela diretoria.
Tinha de mostrar resultados. Será que o gerente não conseguia entender isso?
Saiu para a reunião ja meio atrasado. Não esperou o elevador. Desceu as escadas pulando de dois em dois degraus. Parecia que a garagem estava a quilômetros de distância, encravada no miolo da terra, e não no subsolo do prédio.
Entrou no carro, deu partida e, quando ia engatar a primeira marcha, sentiu de novo o mal-estar. Agora havia uma dor forte no peito.
O ar comegou a faltar... a dor foi aumentando... o carro desapareceu... os outros carros também... Os pilares, as paredes, a porta, a claridade da rua, as luzes do teto, tudo foi sumindo diante de seus olhos, ao mesmo tempo em que surgiam cenas de um filme que ele conhecia bem. Era como se o videocassete estivesse rodando em câmara lenta. Quadro a quadro, ele via esposa, o netinho, a filha e, uma após outra, todas as pessoas que mais gostava.

Por que mesmo não tinha ido almoçar com a filha e o neto?
O que a esposa tinha dito à porta de casa quando ele estava saindo, hoje de manhã?
Por que não foi pescar com os amigos no último feriado?
A dor no peito persistia, mas agora outra dor comegava a perturba-lo:
a do arrependimento.
Ele não conseguia distinguir qual era a mais forte, a da coronária entupida ou a de sua alma rasgando.
Escutou o barulho de alguma coisa quebrando dentro de seu coração, e de seus olhos escorreram lágrimas silenciosas.
Queria viver, queria ter mais uma chance, queria voltar para casa e beijar a esposa, abraçar a filha, brincar com o neto... queria... queria... mas não deu tempo...

Para entender o valor de um ano: pergunte a um estudante que não passou nos exames finais.
Para entender o valor de um mês: pergunte a uma mãe que teve um filho prematuro.
Para entender o valor de uma semana: pergunte ao editor de uma revista semanal.
Para entender o valor de uma hora: pergunte aos apaixonados que estão esperando o momento do encontro.
Para entender o valor de um minuto: pergunte a uma pessoa que perdeu o trem, ônibus ou avião.
Para entender o valor de um segundo: pergunte a uma pessoa que sobreviveu a um acidente.
Para entender o valor de um milisegundo: pergunte a uma pessoa que ganhou uma medalha de prata nas Olimpmadas.
O tempo não espera por ninguem.
Valorize cada momento de sua vida.
Voce irá aprecia-los ainda mais se puder dividi-los com alguém especial.


A origem desta carta é desconhecida, mas, dizem, ela traz sorte para todos que a passam adiante.
... Apenas passe adiante. Dizem que Voce verá que algo de bom lhe acontecerá.
se não fôr assim, a si, 
ao menos, o seu coração (alma) lhe dirá: 


que pôde, quem sabe ...
abrir consciências, que dormiam,
Conseguir ao menos elucidar "alguém que precisava ouvir esse texto!"
Conseguir fazer alguém parar, por um instante, e olhar seu redor!
Conseguiu que alguém,  muda-se, Completamente seu modo de Vida;
Conseguir, Salvar ALGUÉM!!!

não acha que isso vale tudo a Pena??

Beijo na Alma

Analuz











Abandonado na altar, escritor viaja o mundo em busca das formas de amar

Deixado por sua noiva no momento em que se casava, o charmoso escritor Franz Wisner decidiu persistir com sua lua de mel, que já estava paga, porém de um jeito diferente. Ele levou seu irmão mais novo em uma viagem de dois anos, por 53 países, em busca das diferentes formas de amar e se relacionar do ser humano.
Divulgação
Após levar fora no altar, escritor investiga os diferentes tipos de amor

O resultado da longa excursão da dupla pelo planeta é o livro "Como o Mundo Faz Amor" (Verus Editora, 2012). A obra mostra como funcionam os encontros, os namoros, os casamentos, o sexo e o romance em vários pontos do globo, incluindo Índia, Brasil, Egito e Botsuana.

Franz ficou famoso após lançar, em 2006, "Honeymoon with My Brother: A Memoir" (Lua de Mel com Meu Irmão), no qual também faz relatos de sua viagem. A obra se tornou um best-seller e entrou para a lista dos mais vendidos do "New York Times".

Já casado --com uma mulher diferente da que o abandonou-- e com um filho pequeno, neste Livro o escritor levanta reflexões interessantes sobre a humanidade, sobre o amor e sobre como conseguiu superar a humilhação publica de ser rejeitado no altar adotando um novo estilo de vida.



Franz Wisner no continente africano em foto tirada durante sua "viagem de lua de mel" com o irmão
Franz Wisner no continente africano em foto tirada durante sua "viagem de lua de mel" por 53 país com o irmão
*"Como o Mundo Faz Amor"
Autor: Franz Wisner
Editora: Verus Editora
Páginas: 332

Caclule seu bioritmo - CLICK

TAROT DA CRUZ - Clik P/JOGAR

DIVULGANDO O LIVRO DE MARIA ALICE CERQUEIRA

Livro: "DOIS JOVENS EM BUSCA DA FELICIDADE " de uma amiga visite seu blog- clique na imagem

Livros grátis para download - todos os géneros

Blog Ebooks Grátis

Reflexão surpresa - clik

Reflexão surpresa - clik
de: SIMONE: Auto-ajuda

Acenda a sua vela

Acenda a sua vela
clik na imagem: