segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O TEMPO E A DOR CURAM OS VÍCIOS E O FANATISMO





Ao longo dos anos, a humanidade experimentou muitos erros e acertos na relação com a espiritualidade e com as Forças Universais. Chamamos essa ligação de CONEXÃO
A humanidade se esqueceu de seus valores morais, se vendeu, se prostituiu, adoeceu, enlouqueceu, enriqueceu, empobreceu, fez guerra, destruiu a natureza, matou, sofreu, aprendeu, morreu, nasceu, tornou a morrer e a nascer muitas outras vezes. Tornou a se esquecer mais outras diversas vezes, e das formas mais variadas possíveis, em momentos mais inusitados ainda, em especial em situações extremamente simples, experimentou a CONEXÃO.
A humanidade amadureceu em muitos aspectos, principalmente ao aprender que somos nós os Deuses de nossas vidas, pois não existem gurus para nos dizer onde e como devemos trilhar a nossa jornada de vida, mas existe uma força interna que surge para nos dizer o caminho. Essa força interior é natural do homem conectado. Esse é o momento do século XXI, o de perceber que por conta de tantos erros e acertos, amadurecemos – mesmo que não o suficiente – para perceber que somente no amor é que encontraremos a real CONEXÃO. O amor vem da tolerância, do perdão, da gratidão, da simplicidade e da humildade (que não deve ser confundida com menos valia).
A lição maior na qual o amadurecimento – promovido pelos anos que a nossa humanidade já viveu - nos trouxe, ainda que não na totalidade, é que não existe um único caminho para encontrar a CONEXÃO, não existe uma única forma de sermos plenos, tampouco não existe uma única religião, crença ou filosofia espiritual. O que nos conecta a Fonte Maior é um estado de espírito adequado, além disso não é a Fonte que se liga a nós, mas nós é que nos ligamos a Ela. Melhor dizendo, nós nos religamos a Ela, porque nunca fomos separados, apenas estamos separados por conta da barreira que criamos com o ódio, o medo, a vaidade, o orgulho, em outras palavras, por conta do nosso egoísmo, que nada mais é do que achar que somos indivíduos sem qualquer ligação com o Todo.
A CONEXÃO É ESSENCIALMENTE UM ESTADO NATURAL DO SER HUMANDO. O egoísmo é a consequência dos erros e da imaturidade das almas humanas, pois quando o amadurecimento forjado ao longo de muitos ciclos de vida e morte física acontece, lenta e gradativamente, o egoísmo se enfraquece.  O egoísmo é o fruto da imaturidade espiritual. Essa imaturidade espiritual é identificada claramente nos situações de fanatismo religiosos e vícios dos mais diversos.
No caso do fanatismo religioso acontece porque aquela alma ainda desconhecedora das qualidades balsâmicas promovidas pela CONEXÃO saudável e verdadeira, ao entrar em contato com pequenOs momentos de sintonia com a Fonte Maior, conclui que essa é a única forma, Ele sente-se completamente transformado, pois a força da CONEXÃO é como um choque elétrico: é evidente e intenso e causa uma reação imediata.
Quando uma alma ainda imatura no caminho da evolução da consciência experimenta lampejos da força da CONEXÃO, ela se fascina porque não conseguia imaginar que tal sensação era possível. Mas ainda sem expressar as qualidades da tolerância, da harmonia e da sensatez em sua alma, de maneira determinista, inicia uma jornada avassaladora no sentido de extravasar a força daquele lampejo de sintonia, sem medir consequências, sem planejar maneiras, sem respeitar o tempo de cada um. O egoísmo latente presente em almas fanáticas não consegue deixar com que elas percebam que aquele mesmo sentimento obtido em uma experiência religiosa também pode ser encontrado em uma atividade gratificante. Um pintor pode perfeitamente encontrar sua CONEXÃO ao pintar um quadro, um cantor ao expressar-se pela música, um jardineiro no trato com as plantas, um atleta na prática do seu esporte e assim por diante.
Isso é possível porque a CONEXÃO não se dá por uma porta racional ou lógica - num sentido da ciência moderna -, não precisa acontecer através de um mestre espiritual, de um culto, de uma missa ou uma religião, mas a CONEXÃO se dá por resposta da FONTE em relação a um estado de espírito pleno. Mas que fique bem claro que também pode acontecer em uma celebração religiosa.
A Fonte não faz distinção, não julga, não condena, não faz preconceito, Ela simplesmente abastece aquele que está aberto a Ela. Se você puder expressar seu estado de espírito pleno e radiante, então você sentirá o poder da CONEXÃO, que é o momento em que a sua alma entra em sintonia com a alma do Grande Espírito Criador. Nesse instante de tempo não há doença, não há medo, nem angústia, controle o erros consciências, só há virtudes, plenitude, alegria e paz total.
CONEXÃO é o caminho que os grandes seres que que mudaram o mundo encontraram. CONEXÃO não é apenas para santos ou mestres espirituais, mas para pessoas comuns, em ambientes comuns e em atividades comuns, que entendem que a força do TODO é a que nos move.
Estamos ligados na FONTE, ela nos procura o tempo todo, ela reage aos nossos sentimentos e emoções penetrando em nós quando estamos serenos e positivos ou apenas circulando ao nosso redor quando estamos desalinhados, pessimistas, medrosos, ansiosos ou em conflito.
Não é um ser de luz que determina se sua CONEXÃO acontecerá ou não, mas você! Os seres iluminados, mestres, anjos e santos sempre foram entidades sábias que nos ajudaram e nos ajudam, a entender melhor o processo, todavia, eles também sabem que só existe um caminho para a pessoa conquistar a CONEXÃO: através dela mesma.
Nesse processo, qualquer caminho de fanatismo é inútil, porque gera conflitos dos mais diversos, aumenta os carmas individuais e coletivos, promove a discórdia e o desamor,
Nos processos de vícios não é muito diferente pois sensações mundanas de aparente prazer e satisfação, dão a impressão que são caminhos de elevação e bem estar, mas são passageiros pois não são alimentados pela Fonte Maior, que é inesgotável, abundante e constante.
Viemos da Fonte, fomos criados a Sua imagem e semelhança, por isso somos essencialmente abastecidos, alimentados, protegidos e energizados por Ela. Quando buscamos caminhos para promover nosso crescimento interior, os quais não estejam sintonizados com a Fonte, então sofremos – ainda que não percebamos instantaneamente.
E é por isso que o tempo é o maior amigo da humanidade! Em especial, as cíclicas existências as quais o homem vem sendo submetido para que tenha um aprimoramento moral, espiritual e consciencial, que o permita entender a natureza da Fonte a qual ele próprio origina.
Nenhum vício que o homem experimentou poderá levá-lo ao caminho da CONEXÃO, entretanto ele só entenderá isso quando também sentir a dor, a escassez e o vazio que esse caminho provoca. Então, somente no desespero reduzirá o seu orgulho para se expressar com pureza e respeito com a Fonte, pois conhecedor de seus erros dará passos firmes na direção de seus acertos.
Nenhum fanatismo religioso será saudável na busca pelo estado de espírito conectivo, que é aquele capaz de fazer qualquer alma sentir a força do Todo, entretanto, não se pode dizer que o fanatismo seja uma falha humana ou uma doença. Ele é apenas um caminho necessário para alguns encontrarem no futuro – próximo ou distante de acordo com a suas consciências –  a ponderação, a sensatez e o discernimento necessários nessa jornada no sentido da reCONEXÃO.
O tempo e o sofrimento ensinam os extremistas,
O tempo e a dor trazem ponderação à emoção humana.
O tempo e a dor impregnam a consciência humana de perfumes conscienciais;
O tempo e a dor ensinam o homem como digerir o seu orgulho, transmutando em amor e doação;
O tempo e a dor aproximam as polaridades e diminuem seus efeitos.
O tempo e a dor trazem amor e sabedoria.
Quanto mais dor, menos sabedoria. Quanto mais sabedoria, menos rebeldia. O manso é o amadurecido pelas intempéries das emoções doentias, que agora consciente da destruição que tais desequilíbrios promovem, adota para si uma conduta equilibrada.
Esta é uma consciência que só é conquistada com o tempo e com a dor.
A sugestão é: aceitar mais, perdoar mais, amar mais para que a dor deixe-nos logo e a plenitude aconteça.
Amando mais nos tornamos sábios e flexíveis, espantamos a dor e aprendemos mais rápido.

Grupo de Estudos Astúria - conheça

Sem comentários:

Tarot de OSHO clik

Se gosta de ERVAS e ESPECIARIAS CLIK

Se lhe interessa a NOVA ERA Clik

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O TEMPO E A DOR CURAM OS VÍCIOS E O FANATISMO





Ao longo dos anos, a humanidade experimentou muitos erros e acertos na relação com a espiritualidade e com as Forças Universais. Chamamos essa ligação de CONEXÃO
A humanidade se esqueceu de seus valores morais, se vendeu, se prostituiu, adoeceu, enlouqueceu, enriqueceu, empobreceu, fez guerra, destruiu a natureza, matou, sofreu, aprendeu, morreu, nasceu, tornou a morrer e a nascer muitas outras vezes. Tornou a se esquecer mais outras diversas vezes, e das formas mais variadas possíveis, em momentos mais inusitados ainda, em especial em situações extremamente simples, experimentou a CONEXÃO.
A humanidade amadureceu em muitos aspectos, principalmente ao aprender que somos nós os Deuses de nossas vidas, pois não existem gurus para nos dizer onde e como devemos trilhar a nossa jornada de vida, mas existe uma força interna que surge para nos dizer o caminho. Essa força interior é natural do homem conectado. Esse é o momento do século XXI, o de perceber que por conta de tantos erros e acertos, amadurecemos – mesmo que não o suficiente – para perceber que somente no amor é que encontraremos a real CONEXÃO. O amor vem da tolerância, do perdão, da gratidão, da simplicidade e da humildade (que não deve ser confundida com menos valia).
A lição maior na qual o amadurecimento – promovido pelos anos que a nossa humanidade já viveu - nos trouxe, ainda que não na totalidade, é que não existe um único caminho para encontrar a CONEXÃO, não existe uma única forma de sermos plenos, tampouco não existe uma única religião, crença ou filosofia espiritual. O que nos conecta a Fonte Maior é um estado de espírito adequado, além disso não é a Fonte que se liga a nós, mas nós é que nos ligamos a Ela. Melhor dizendo, nós nos religamos a Ela, porque nunca fomos separados, apenas estamos separados por conta da barreira que criamos com o ódio, o medo, a vaidade, o orgulho, em outras palavras, por conta do nosso egoísmo, que nada mais é do que achar que somos indivíduos sem qualquer ligação com o Todo.
A CONEXÃO É ESSENCIALMENTE UM ESTADO NATURAL DO SER HUMANDO. O egoísmo é a consequência dos erros e da imaturidade das almas humanas, pois quando o amadurecimento forjado ao longo de muitos ciclos de vida e morte física acontece, lenta e gradativamente, o egoísmo se enfraquece.  O egoísmo é o fruto da imaturidade espiritual. Essa imaturidade espiritual é identificada claramente nos situações de fanatismo religiosos e vícios dos mais diversos.
No caso do fanatismo religioso acontece porque aquela alma ainda desconhecedora das qualidades balsâmicas promovidas pela CONEXÃO saudável e verdadeira, ao entrar em contato com pequenOs momentos de sintonia com a Fonte Maior, conclui que essa é a única forma, Ele sente-se completamente transformado, pois a força da CONEXÃO é como um choque elétrico: é evidente e intenso e causa uma reação imediata.
Quando uma alma ainda imatura no caminho da evolução da consciência experimenta lampejos da força da CONEXÃO, ela se fascina porque não conseguia imaginar que tal sensação era possível. Mas ainda sem expressar as qualidades da tolerância, da harmonia e da sensatez em sua alma, de maneira determinista, inicia uma jornada avassaladora no sentido de extravasar a força daquele lampejo de sintonia, sem medir consequências, sem planejar maneiras, sem respeitar o tempo de cada um. O egoísmo latente presente em almas fanáticas não consegue deixar com que elas percebam que aquele mesmo sentimento obtido em uma experiência religiosa também pode ser encontrado em uma atividade gratificante. Um pintor pode perfeitamente encontrar sua CONEXÃO ao pintar um quadro, um cantor ao expressar-se pela música, um jardineiro no trato com as plantas, um atleta na prática do seu esporte e assim por diante.
Isso é possível porque a CONEXÃO não se dá por uma porta racional ou lógica - num sentido da ciência moderna -, não precisa acontecer através de um mestre espiritual, de um culto, de uma missa ou uma religião, mas a CONEXÃO se dá por resposta da FONTE em relação a um estado de espírito pleno. Mas que fique bem claro que também pode acontecer em uma celebração religiosa.
A Fonte não faz distinção, não julga, não condena, não faz preconceito, Ela simplesmente abastece aquele que está aberto a Ela. Se você puder expressar seu estado de espírito pleno e radiante, então você sentirá o poder da CONEXÃO, que é o momento em que a sua alma entra em sintonia com a alma do Grande Espírito Criador. Nesse instante de tempo não há doença, não há medo, nem angústia, controle o erros consciências, só há virtudes, plenitude, alegria e paz total.
CONEXÃO é o caminho que os grandes seres que que mudaram o mundo encontraram. CONEXÃO não é apenas para santos ou mestres espirituais, mas para pessoas comuns, em ambientes comuns e em atividades comuns, que entendem que a força do TODO é a que nos move.
Estamos ligados na FONTE, ela nos procura o tempo todo, ela reage aos nossos sentimentos e emoções penetrando em nós quando estamos serenos e positivos ou apenas circulando ao nosso redor quando estamos desalinhados, pessimistas, medrosos, ansiosos ou em conflito.
Não é um ser de luz que determina se sua CONEXÃO acontecerá ou não, mas você! Os seres iluminados, mestres, anjos e santos sempre foram entidades sábias que nos ajudaram e nos ajudam, a entender melhor o processo, todavia, eles também sabem que só existe um caminho para a pessoa conquistar a CONEXÃO: através dela mesma.
Nesse processo, qualquer caminho de fanatismo é inútil, porque gera conflitos dos mais diversos, aumenta os carmas individuais e coletivos, promove a discórdia e o desamor,
Nos processos de vícios não é muito diferente pois sensações mundanas de aparente prazer e satisfação, dão a impressão que são caminhos de elevação e bem estar, mas são passageiros pois não são alimentados pela Fonte Maior, que é inesgotável, abundante e constante.
Viemos da Fonte, fomos criados a Sua imagem e semelhança, por isso somos essencialmente abastecidos, alimentados, protegidos e energizados por Ela. Quando buscamos caminhos para promover nosso crescimento interior, os quais não estejam sintonizados com a Fonte, então sofremos – ainda que não percebamos instantaneamente.
E é por isso que o tempo é o maior amigo da humanidade! Em especial, as cíclicas existências as quais o homem vem sendo submetido para que tenha um aprimoramento moral, espiritual e consciencial, que o permita entender a natureza da Fonte a qual ele próprio origina.
Nenhum vício que o homem experimentou poderá levá-lo ao caminho da CONEXÃO, entretanto ele só entenderá isso quando também sentir a dor, a escassez e o vazio que esse caminho provoca. Então, somente no desespero reduzirá o seu orgulho para se expressar com pureza e respeito com a Fonte, pois conhecedor de seus erros dará passos firmes na direção de seus acertos.
Nenhum fanatismo religioso será saudável na busca pelo estado de espírito conectivo, que é aquele capaz de fazer qualquer alma sentir a força do Todo, entretanto, não se pode dizer que o fanatismo seja uma falha humana ou uma doença. Ele é apenas um caminho necessário para alguns encontrarem no futuro – próximo ou distante de acordo com a suas consciências –  a ponderação, a sensatez e o discernimento necessários nessa jornada no sentido da reCONEXÃO.
O tempo e o sofrimento ensinam os extremistas,
O tempo e a dor trazem ponderação à emoção humana.
O tempo e a dor impregnam a consciência humana de perfumes conscienciais;
O tempo e a dor ensinam o homem como digerir o seu orgulho, transmutando em amor e doação;
O tempo e a dor aproximam as polaridades e diminuem seus efeitos.
O tempo e a dor trazem amor e sabedoria.
Quanto mais dor, menos sabedoria. Quanto mais sabedoria, menos rebeldia. O manso é o amadurecido pelas intempéries das emoções doentias, que agora consciente da destruição que tais desequilíbrios promovem, adota para si uma conduta equilibrada.
Esta é uma consciência que só é conquistada com o tempo e com a dor.
A sugestão é: aceitar mais, perdoar mais, amar mais para que a dor deixe-nos logo e a plenitude aconteça.
Amando mais nos tornamos sábios e flexíveis, espantamos a dor e aprendemos mais rápido.

Grupo de Estudos Astúria - conheça

Sem comentários:

Caclule seu bioritmo - CLICK

TAROT DA CRUZ - Clik P/JOGAR

DIVULGANDO O LIVRO DE MARIA ALICE CERQUEIRA

Livro: "DOIS JOVENS EM BUSCA DA FELICIDADE " de uma amiga visite seu blog- clique na imagem

Livros grátis para download - todos os géneros

Blog Ebooks Grátis

Reflexão surpresa - clik

Reflexão surpresa - clik
de: SIMONE: Auto-ajuda

Acenda a sua vela

Acenda a sua vela
clik na imagem: